Pesquisa

Bancos privados fecharam 5 mil postos de trabalho no semestre

Segundo a Contraf-CUT, os bancos estão empregando a rotatividade para reduzir os salários dos trabalhadores

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Os bancos privados que operam no Brasil fecharam cinco mil postos de trabalho no primeiro semestre deste ano. É o que afirma a 18ª Pesquisa de Emprego Bancário divulgada pela Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro).

Segundo a Confederação, baseado nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego, os bancos brasileiros contrataram 20.230 bancários no primeiro semestre e desligaram 22.187. No total do sistema financeiro, foram fechados 1.957 postos de trabalho.

“Mesmo aumentando os lucros e mantendo a mais alta rentabilidade do sistema financeiro internacional, os bancos brasileiros, principalmente os privados, continuam demitindo trabalhadores e empregando a rotatividade para reduzir os salários dos trabalhadores”, afirma o presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro.

PUBLICIDADE

Salário médio
O estudo indicou ainda que o salário médio dos admitidos pelos bancos no primeiro semestre foi de R$ 2.896,07, contra salário médio de R$ 4.523,65 dos afastados. Ou seja, os trabalhadores que entram no sistema financeiro recebem remuneração 36% inferior à dos que saem.

“Isso explica por que, embora com muita mobilização os bancários tenham conquistado 16,2% de aumento real no salário e 35,6% de ganho real no piso salarial desde 2004, a média salarial da categoria diminuiu neste período. Esse é o mais perverso mecanismo de concentração de renda, num país que faz um grande esforço para se tornar menos injusto”, finaliza Cordeiro.