AO VIVO Por Dentro dos Resultados: CEO da GPC divulga e comenta os resultados da empresa no 3º trimestre

Por Dentro dos Resultados: CEO da GPC divulga e comenta os resultados da empresa no 3º trimestre

Bancos assinam acordo para combater assédio moral no trabalho

Segundo representante do setor, doenças mentais são uma das principais causas de afastamento do trabalho

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Na próxima quarta-feira (26), a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e a Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) assinarão acordo para Prevenção de Conflitos no Ambiente de Trabalho.

A medida, que tem como objetivo combater o assédio moral nos locais de trabalho, atende a uma das reivindicações da Campanha Nacional dos Bancários, realizada no ano passado.

No acordo, conforme publicado pela Agência Brasil, os bancos comprometem-se a declarar explicitamente condenação a qualquer ato de assédio e reconhecem que o objetivo é alcançar a valorização de todos os empregados, promovendo o respeito à diversidade, cooperação e ao trabalho em equipe, em um ambiente saudável.

Aprenda a investir na bolsa

Segundo o presidente da Contraf, Carlos Cordeiro, Bradesco, Itaú Unibanco, Santander, HSBC e Citibank já confirmaram a adesão, que é espontânea, ao acordo. Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal instalaram, no ano passado, comitês de ética para apurar denúncias deste tipo de problema.

 Problemas
Ainda segundo Cordeiro, as doenças mentais são uma das principais causas de afastamento do trabalho, sendo que algumas instituições já teriam sido condenadas em ações judiciais a pagar indenizações.

Dentre os principais problemas verificados nos bancos, estão a fixação de metas abusivas para a venda de produtos, com as empresas apelando para “situações de constrangimento e humilhações, que trazem estresse, adoecimento e depressão”.

O funcionário que sofrer ou presenciar algum tipo de assédio moral deve fazer a denúncia, devidamente identificada, aos sindicatos, que terão prazo de dez dias úteis para apresentar o caso ao banco em questão.

Vale lembrar que as denúncias anônimas continuarão a ser apuradas pelas entidades, mas fora das regras estabelecidas no acordo.