Corte

Bancários do Santander fazem paralisação contra demissão em massa

Contraf-CUT estima que cerca de mil pessoas foram demitidas desde semana passada

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) enviou uma nota, nesta terça-feira (4), afirmando que os bancários estão paralisando as atividades das agências do Santander nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador devido as demissões em massa que estão correndo.

De acordo com a estimativa Contraf-CUT, cerca de mil pessoas foram demitidas na última segunda-feira (3). Na semana passada, somente na Torre do Santander, na capital paulista, foram 40 desligamentos. A confederação explicou já está fazendo um levantamento nacional junto aos sindicatos para apurar o total de dispensas.

A entidade sindical declara que já cobrou uma negociação com o banco, mas até o momento não obteve retorno. “Solicitamos uma negociação com o Santander para discutir a suspensão imediata das dispensas e a manutenção dos empregos dos trabalhadores”, diz diretor de imprensa da Contraf-CUT, Ademir Wiederkehr.

Aprenda a investir na bolsa

Mais demissões
A Confederação acredita que demissões continuarão nesta semana. A previsão é que até a próxima sexta-feira (7) o número de desligamentos pode chegar a cerca de 5 mil.

“Isso é um absurdo, pois os trabalhadores brasileiros são principais responsáveis pela maior fatia do resultado global da empresa (26%). O banco não demite na Espanha onde há crise, nem em outros países da América Latina. Não aceitamos que dispensem os funcionários daqui”, afirma a diretora do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Maria Rosani.

Posicionamento Santander
Em nota, o Santader explicou que as informações não correspondem à realidade. “O Santander está procedendo um ajuste em sua estrutura de forma a adequá-la ao contexto competitivo da indústria”.