Avaliação dos brasileiros quanto à taxa de juros, inflação e impostos melhora

Pesquisa da CNI-Ibope 'Avaliação do Governo' mostra que brasileiros estão aprovando esforços do governo para redução dos juros

Percentage sales concept

SÃO PAULO – Os brasileiros parecem estar mais satisfeitos, no que diz respeito à atuação do governo Dilma Rousseff, nas áreas ligadas à economia. De acordo com a pesquisa CNI-Ibope ‘Avaliação do Governo’, houve melhora nas avaliações das seguintes áreas: taxa de juros, inflação e impostos.

Segundo o levantamento divulgado nesta sexta-feira (29), em relação às taxas de juros, o percentual de aprovação em junho de 2012 chegou a 49%. Em março deste ano, 33% da população brasileira aprovava as políticas e ações nesta área. Por outro lado, a desaprovação caiu de 55% em março para 41% em junho. Segundo o levantamento, a situação reflete, provavelmente, os esforços do governo para reduzir as taxas de juros.

Avaliação sobre o combate à inflação também melhora
Em relação ao que vem sendo feito para combater a inflação, o percentual dos que aprovam passou de 42% em março deste ano, para 46% em junho. A desaprovação chegou a 47% da população brasileira.

PUBLICIDADE

Vale destacar que entre os respondentes com renda familiar de mais de 10 salários mínimos o percentual de aprovação é de 53%, 6 p.p. acima do percentual de desaprovação. Entre os com renda familiar entre 5 e 10 salários mínimos, a aprovação alcança 56% contra 42% de desaprovação.

A última área a obter melhora nas avaliações foi a de impostos. Em junho deste ano, 31% dos brasileiros aprovaram a política de impostos do governo Dilma. No mês de março, o percentual de aprovação foi de 28%.

Piora avaliação em saúde e educação
Por outro lado, o percentual de desaprovação das políticas e ações educacionais voltou a superar a metade da população. Com o aumento de 7 p.p., 54% da população desaprova essa área. Este foi o maior percentual de desaprovação desde o início do governo Dilma. Dentre os entrevistados, 44% aprovam as políticas e ações.

Quanto maior o grau de instrução, maior o percentual de desaprovação. Entre os entrevistados com até a 4ª série da educação fundamental o percentual de desaprovação (46%) é inferior ao de aprovação (48%). Entre os com educação superior, o percentual de desaprovação é de 64% contra 35% de aprovação.

Na área da saúde também houve queda nas aprovações. Se em março deste ano 34% da população aprovação as ações do governo no que diz respeito à área da saúde, em junho, o percentual chegou a 31%.

Demais áreas de atuação do governo
Nas demais áreas, como meio ambiente (estável em 37% desde março), combate ao desemprego (estável em 42% desde março), combate à fome e à pobreza e segurança público (de 37% em março de 2012 para 38% em junho), as porcentagens se mantiveram praticamente estáveis.