Aumento do condomínio será de 3% para quem fez provisão de gastos

Previsão do vice-presidente do Secovi-SP foi feita com base na estimativa de reajuste de 6,1% do dissídio coletivo

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Os condôminos que fizeram um planejamento antecipado durante o ano de 2004 para o pagamento das despesas com o 13º salário e o dissídio dos funcionários sofrerão aumento da taxa condominial de 3% para cobrir estas despesas, de acordo com o vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomìnios do Secovi-SP, Hubert Gebara.

Acréscimo de 3% se deve ao díssídio de 6,1%

A previsão foi feita com base na estimativa de reajuste de 6,1% no dissídio coletivo dos trabalhadores do setor.

Pelos cálculos do vice-presidente, como a folha de pagamentos e encargos respondem por 50% dos gastos do condomínio, o dissídio de 6,1% irá desencadear neste acréscimo de 3% nas despesas ordinárias da maior parte dos condomínios residenciais.

PUBLICIDADE

É para evitar um gasto maior do que este no final do ano, que alguns condomínios adotam a provisão destes gastos, diluindo-os em parcelas a serem pagas no decorrer do ano.

Quem não fez a provisão terá aumento de 28%

Quem não fez a provisão de gastos durante o ano terá de arcar com um prejuízo bem maior nos últimos doze meses do ano.

De acordo com os dados conferidos por Gebara, os condôminos que não ratearam esta provisão serão onerados em até 28% nos meses de novembro e dezembro na mensalidade condominial. O prejuízo se deve aos 25% de impacto do 13º e dos 3% do dissídio.