Aumente a eficácia do treinamento: conheça os riscos a que ele está exposto

Dentre eles, estão indicar para treinamento quem não precisa dele e oferecê-lo como recompensa e descanso

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – “Capacitar alguém para desempenhar melhor as suas funções”. Este é o conceito de treinamento, dado pelo consultor de coaching da Manager Assessoria em Recursos Humanos, Jonas Tokarski. Ele deu o seguinte exemplo: se um profissional precisa trabalhar com planilhas e não conhece o programa indicado para isso, lhe será passado um curso específico, capacitando-o para a atividade.

O problema, por sua vez, é que nem sempre o treinamento alcança o que propõe. Quando isso acontece, a empresa perde em investimento e o profissional, em tempo e aprendizado. O correto, então, é fazer algumas análises para que o treinamento não se torne um custo a mais para nenhuma das partes.

Riscos

O resultado não é alcançado porque existem alguns riscos que podem colocar todo o treinamento a perder. Eles são frutos da má gestão de pessoal. Veja alguns deles:

  • Indicar para treinamento quem não precisa dele;
  • Oferecer o treinamento como uma espécie de recompensa e descanso;
  • O levantamento de necessidades foi mal executado; outras pessoas deveriam fazer também esse curso;
  • No final do programa, nada se avalia do treinando e, em seguida, ele se desmotiva;
  • Colaborador desmotivado faz de tudo para ser transferido ou se desliga da empresa assim que puder.

Aprenda a investir na bolsa

“Aí estão alguns dos motivos pelos quais percebemos, em muitas empresas, o elevado índice de pessoas participando em treinamento, mas retenção desses talentos quase inexistente. Como conseqüência, a produtividade despenca e os custos se elevam”, explicou Tokarski.

Meça o treinamento

O ideal, para que o programa de treinamento dê resultados, é que o profissional seja avaliado periodicamente. De que maneira?

O consultor de coaching orientou da seguinte forma: “tire uma fotografia do momento presente, registre todos índices necessários, como vendas totais, lucratividade, horas perdidas, desmotivação, reclamação de clientes, retornos de serviço, taxas operacionais, comissões… Passados três meses do curso, tire nova fotografia, registrando os mesmos campos, agora com novos valores”.

Depois de realizada esta avaliação, analise os problemas ou os pontos em que está tendo sucesso.

O treinamento nas empresas

De acordo com Tokarski, o treinamento é uma questão de sobrevivência para uma equipe, já que funcionários despreparados podem afundar qualquer empresa. “Treinamento não é despesa, é investimento – fazer errado é custo”, afirmou o consultor.

Uma maneira de fazer um treinamento eficaz é aliá-lo ao plano de carreira do funcionário, o que,muitas vezes, é deixado de lado.

PUBLICIDADE