Vagas

Aumentam oportunidades para trainees no Norte e Nordeste

Só no ano passado, foram 353 oportunidades nas duas regiões, volume 80% superior ao observado em 2010

(Shutterstock)

SÃO PAULO – A cada ano que passa, os profissionais recém-formados e os estudantes universitários encontram cada vez mais vagas de estágio e trainees. E as oportunidades não estão mais tão concentradas apenas nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

De acordo com levantamento da Cia de Talentos, houve um forte aumento nas vagas fechadas para as regiões Norte e Nordeste. Pernambuco, Bahia e Pará foram destaques nesses números.

Só no ano passado, foram 353 oportunidades nas duas regiões, Nordeste e Norte. Esse número é mais de 80% superior ao observado em 2010, quando o mercado ofereceu 193 vagas. A Cia de Talentos ainda revela que, das 353 vagas, 276 eram para posições de estágio e 77 de trainee.

PUBLICIDADE

Para 2012, as perspectivas também são favoráveis, e a previsão é de que as empresas ofereçam em conjunto cerca de 300 vagas. Entre as organizações que mais demandaram funcionários estão Unilever, Gerdau, Alcoa, Braskem, Procter & Gamble e Kimberly-Clark. As formações exigidas foram as mais diversas, como administração de empresas, economia, comunicação social e engenharias.

Desafios
De acordo com a Cia de Talentos, o possível aumento dos pólos industriais em tais regiões vai permitir que mais vagas sejam abertas. Segundo especialistas, as empresas em todo o Brasil cada vez mais estão apostando nos programas de trainees, e os jovens, reconhecendo essa oportunidade.

O problema é que muitas vezes os recém-formados aprovados nesses programas precisam mudar de cidade para aproveitar a oportunidade, encarando os desafios profissionais e pessoais que essa mudança acarreta.

Foi justamente o que aconteceu com a jovem trainee da Arezzo, Mariana Goulart, de 24 anos. A profissional, nascida em Belo Horizonte, foi aprovada no programa de trainee para trabalhar na sede da empresa em São Paulo. Desde novembro de 2010, está passando por um intenso processo de adaptação.

Ela relata que os desafios são grandes, tanto na esfera profissional quanto pessoal. Além de ter de lidar com algo novo, também teve de enfrentar o fato de ter deixado a família, o namorado e a ainda ter de viver em uma cidade desconhecida.

“Eu tive muita insegurança em relação a como ia me virar em São Paulo e também foi difícil lidar com a angústia de não saber exatamente o que me esperava na empresa”, confessa. Mas o aprendizado é grande e a profissional aos poucos foi se adaptando a essa etapa de sua vida.

PUBLICIDADE

E essa é exatamente a dica de Mariana. Ela diz que os trainees que mudam de cidade não devem pensar e se desesperar com todo o pacote, ou seja, cidade nova, desafios profissionais, saudade da família, inseguranças e medos. “O profissional tem que pensar em aproveitar a oportunidade que a empresa está oferecendo, pois ela está investindo muito na pessoa”, diz.

Todo o resto, gradualmente, vai se encaixando e ajustando e o aprendizado depois de todo o processo será inestimável.