Brasil

Auditores sofrem pressão para alterar resultados, diz pesquisa

Segundo o levantamento, 21,5% disseram que as pressões vieram dos diretores financeiros das empresas

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Uma pesquisa realizada pelo The IIA – Institute of Internal Auditors revelou que 13% dos executivos-chefes de auditoria interna que atuam no Brasil já sofreram algum tipo de influência para alterar, indevidamente, os resultados de seus trabalhos.

Dos entrevistados que afirmaram que sofrem influência, 21,5% disseram que as pressões vieram dos diretores financeiros das empresas.

Além disso, 16% dos executivos-chefes de auditoria interna do Brasil já tiveram, em algum momento, a objetividade de seus departamentos prejudicada ou foram afetados (influenciados) negativamente, por parte hierárquica superior dentro da organização.

Aprenda a investir na bolsa

Ética
Para o presidente do conselho de administração do Instituto dos Auditores Internos do Brasil, Renato Trisciuzzi, estes números alertam para a necessidade de ampliar os níveis de debates sobre ética corporativa e de ampliar mecanismos que fortaleçam a transparência e independência destes profissionais.

“Um dos caminhos para incentivar a ética é implantar a chamada: Três Linhas de Defesa, que é um modelo eficaz de controle da governança indicado entre as melhores práticas de gestão em uma organização”, explica.