Atividade industrial volta a crescer em fevereiro após dois meses de recuo, mostra CNI

Com faturamento e horas trabalhadas em alta, utilização da capacidade instalada chega a 83,6% e ultrapassa patamar pré-crise

SÃO PAULO – A atividade industrial voltou a crescer no mês de fevereiro após dois meses consecutivos de queda, afirmou a CNI (Confederação Nacional da Indústria) nesta quinta-feira (7). Segundo a pesquisa Indicadores Industriais, o faturamento da indústria de transformação cresceu 6,9% na passagem mensal, considerando a série com ajuste sazonal, enquanto as horas trabalhadas aumentaram 2,6%.

Já na comparação com fevereiro de 2010, o faturamento da indústria teve crescimento ainda mais expressivo, de 14,3%. O número de horas trabalhadas aumentou 6,7%, mas ainda se situa 0,4% abaixo do patamar pré-crise, de setembro de 2008. Ao contrário da utilização da capacidade da indústria, que chegou a 83,6%, expansão de 2,6% frente ao visto no segundo mês de 2010.

Com alta de 0,4% em fevereiro na comparação com o mês de janeiro – na série livre de influências sazonais – o emprego chegou ao quarto mês consecutivo de alta, sendo que na comparação com fevereiro de 2010 o índice apresentou expansão de 4,1%.

Indicadores Industriais CNI*
Fevereiro de 2011/2010
Faturamento real

 +14,3%

Horas trabalhadas+6,7%
Rendimento Médio+1,6%
UCI83,6%
Salários+5,8%
Emprego+4,1%

PUBLICIDADE

* Dados com ajuste sazonal
Comparação com fevereiro de 2010
Fonte: CNI

Análise trimestral deve disseminar ganhos
De acordo com o estudo, a expansão da atividade na indústria em fevereiro se deve basicamente à maior quantidade de dias úteis no mês, em razão das festividades de carnaval terem sido comemoradas em março.

Segundo o gerente-executivo de Políticas Econômicas da CNI, Flávio Castelo Branco, “esse movimento de aceleração da atividade industrial em fevereiro foi antecipado de março”. Castelo Branco ainda pontua que “na análise do primeiro trimestre, esse resultado deve se disseminar, já que em março deve registrar uma desaceleração do crescimento”.

Salários e rendimentos médios na contramão
Destoando dos demais indicadores industriais, os salários (-1,4%) e o rendimento médio (-1,7%) recuaram  em fevereiro na comparação com o mês anterior, o que de acordo com a pesquisa “é normal para a época do ano”. No entanto, na comparação com fevereiro de 2010 o indicador de salários registra expansão de 5,8%, e o de rendimento médio, 1,6%.

Setor de veículos automotores é destaque
De acordo com a CNI, o maior ritmo de crescimento nos indicadores de faturamento, emprego, horas trabalhadas e massa salarial no mês de fevereiro ficou por conta do setor de veículos automotores, que foi impulsionado pela demanda interna. Com isso, o seu faturamento cresceu 24,6%, enquanto as horas trabalhadas aumentaram 17,8% no período, ambos na comparação com fevereiro de 2010.

Na mesma base comparativa, o faturamento da indústria de máquinas e equipamentos aumentou 11,1%, além da expansão de 9,4% no número de horas trabalhadas. Caso o movimento persista nos próximos meses, “será reflexo de que os investimento voltaram a crescer com mais força no início do ano”, destaca a pesquisa de Indicadores Industriais.