Atitudes: o que pode levar tudo a perder com seu chefe?

Em primeiro lugar, de acordo com presidente da Curriculum.com.br, agir propositalmente de maneira enganosa; além disso, não ter comprometimento

SÃO PAULO – Algumas atitudes no ambiente de trabalho podem mudar completamente a visão que seu chefe tem de você. Você sabe quais são elas? Em primeiro lugar, na opinião do presidente da Curriculum.com.br, Marcelo Abrileri, estão aquelas relacionadas à ética e aos valores do profissional. “Agir de maneira enganosa e propositalmente”, afirmou.

Isso porque, como ele explicou, quando se perde o respeito e a confiança em um relacionamento, ele fica difícil. E isso não serve apenas para a vida profissional não, mas com os amigos – que podem ser colegas de trabalho – e com a família. É por isso que outro ponto de peso é não lidar bem com as pessoas. “Tem gente que não sabe se relacionar e desestabiliza a equipe”.

Outra atitude que pode levar tudo a perder é não ter comprometimento. “Não vejo com bons olhos as pessoas pouco comprometidas”.

Não seja omisso

PUBLICIDADE

De acordo com Abrileri, ser muito passivo e omisso “não é uma posição muito indicada”. Porém, em determinadas situações, o melhor é mesmo ficar quieto. Para isso, é preciso ter bom senso, principalmente quando abrir a boca e a sua opinião for de encontro com a de seu chefe.

“Contrariar faz parte do jogo, desde que seja feito com respeito”, destacou Abrileri. O que pode levar tudo a perder é não ter personalidade. Tem que saber defender as opiniões, mas com embasamento.

Além do desempenho

Já de acordo com o diretor de Projetos da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Vladimir Araújo, é possível citar situações simples que levam tudo a perder com seu chefe. Dentre elas, estão chegar atrasado, quando o chefe preza a pontualidade; falar alto demais, quando o ambiente exige concentração; interromper a chefia sem motivos justificáveis; esquecer ou não passar recados precisos.

Em um segundo estágio em gravidade, ele citou: quando recém-chegado na empresa, dar a entender que sabe mais que os outros, inclusive o chefe; tratar o superior hierárquico como amigo íntimo diante de estranhos; não cumprir prazos; não posicionar imediatamente a chefia, caso encontre dificuldades na execução de uma tarefa. Veja, abaixo, as atitudes consideradas graves:

  • Falar mal do chefe pensando que isso não chegará aos ouvidos dele;
  • Colocar a culpa no chefe pelo não cumprimento do prazo;
  • Omitir informações;
  • Dar um “by pass” no chefe. “Seria alguma coisa como passar por cima do chefe”. Exemplo: em vez de levar um problema ou uma solução para ele, o subordinado leva para o chefe do chefe, com o objetivo de se promover”;
  • Tentar ofuscar a imagem da chefia;
  • Passar e-mails importantes para outras chefias, sem copiar para a própria chefia.

Manual de sobrevivência

Conforme disse Araújo, qualquer bom manual de sobrevivência nas empresas tem um tópico exclusivo para tratar da relação chefe versus subordinado. “Isso porque, além de o profissional ter de reunir as competências necessárias para o desenvolvimento das atividades que lhe são atribuídas, é imprescindível que ele entenda a melhor forma de se relacionar com a sua chefia, e, em alguns casos, ter um bom jogo de cintura”.

Para não levar tudo a perder com seu líder, a dica do diretor de Projetos é que o profissional tente conhecer bem o chefe e identificar a reação dele em determinadas ocasiões. “Assim, você poderá evitar o surgimento de situações-problema”, finalizou.