Atitude colaborativa ajuda a prevenir assédio moral

Assédio moral se dá, entre outras coisas, pelo fato de um profissional ter um perfil ou comportamento diferente dos demais membros da equipe

SÃO PAULO – Ter uma atitude colaborativa, contribuindo para que os resultados da equipe sejam alcançados, é uma das formas de se prevenir o assédio moral. Ao menos esta é a opinião do diretor regional de São Paulo da De Bernt Entschev Human Capital, Júlio Bonrruquer.

De acordo com ele, o assédio moral se dá, entre outras coisas, pelo fato de um profissional ter um perfil ou comportamento diferente dos demais. Assim, quando há um esforço para que tudo “reme na mesma direção”, diz ele, é mais difícil acontecer este tipo de problema.

A diretora regional Sul, também da De Bernt, Ruth Bandeira, concorda e sugere para que as pessoas sempre avaliem a qualidade de suas relações pessoais. Para ela, o autoconhecimento favorece a prevenção da situação.

PUBLICIDADE

Assédio moral
De modo geral, explica Bonrruquer, o assédio moral é caracterizado por qualquer situação de exclusão ou discriminação que um profissional pode sofrer dentro da empresa por parte de colegas ou superiores.

Ao detectar situações do tipo, aconselha, o líder deve procurar resolver de maneira transparente, chamando individualmente os envolvidos para uma conversa e, posteriormente, sem citar nomes, colocando o fato para a equipe.

Segundo especialistas, o assédio moral pode causar problemas de saúde nos profissionais. Não raro, quem sofre do problema no trabalho pode apresentar consequências emocionais, como ansiedade, desenvolver síndrome do pânico, gastrite, estresse ou mesmo a síndrome de burnout – caracterizada por ser um distúrbio psíquico, devido ao esgotamento físico e mental intenso.