Até junho, cerca de 97% dos acordos salariais ficaram iguais ou acima da inflação

Conforme apurou o Dieese, as negociações feitas no período apresentaram resultados superiores em relação a 2009

SÃO PAULO – Cerca de 97% das 290 negociações salariais registradas no primeiro semestre de 2010 obtiveram reajustes iguais ou acima da inflação. Os dados fazem parte de um balanço divulgado nesta quinta-feira (26) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

Segundo o Dieese, o desempenho verificado em 2010 foi melhor do que o obtido nos dois anos anteriores, quando o percentual de negociações com reajustes iguais ou superiores à inflação foi de 87%, em 2008, e de 93%, em 2009.

Ao todo, 87,9% das categorias conseguiram reajustes acima do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Novamente, este patamar é superior ao mensurado nos anos passados, quando 75,2% dos trabalhadores receberam o aumento em 2008 e 76,6%, em 2009.

PUBLICIDADE

Índice dos reajustes
Na tabela a seguir, é possível verificar todos os percentuais de reajustes:

Quantidade de negociaçõesParticipação no totalPercentual de reajuste
165,5%mais de 5% acima da inflação
51,7%de 4,01% a 5% acima da inflação
134,5%de 3,01% a 4% acima da inflação
3913,4%de 2,01% a 3% acima da inflação
6522,4%de 1,01% a 2% acima da inflação
11740,3%de 0,01% a 1% acima da inflação
269%igual à inflação
93,1%de 0,01% a 1% abaixo da inflação
0nulo Mais de 1,01% abaixo da inflação
290100%Total


Fonte: Dieese

Destaques por setor
Entre os setores da economia analisados, o que mais teve negociações que resultaram em reajustes acima da inflação no primeiro semestre foi o Comércio, com 97,3%, acima do percentual verificado em 2008 e 2009, quando o índice foi de 83,8%. O setor conseguiu reduzir o número de negociações abaixo do INPC. Esses reajustes representaram 2,7% do total, contra 5,4% de 2009 e 13,5% de 2008.

Já na Indústria, 87,9% das negociações ficaram acima do INPC. Na comparação com 2009, houve alta de 10,5 pontos percentuais. O Dieese lembra que o setor industrial foi o que mais sentiu os impactos da crise e, por conta disso, apresentou aumento no número de reajustes abaixo da inflação no ano passado, processo superado em 2010.

O setor de Serviços, porém, se destacou por registrar uma elevação de 11,7 pontos percentuais no número de reajustes acima da inflação, que ficou em 85,3%, frente os 73,6% verificados em 2009. De acordo com o Dieese, o setor também contribuiu para o maior número de reajustes acima de 5% do ganho real. Trata-se de negociações de trabalhadores em turismo e hospitalidade.

Análise por região
O Dieese constatou que a região Sudeste (37%) apresentou a maior parte das negociações entre as regiões brasileiras. A seguir, estão as regiões Sul (24,5%), Nordeste (20,7%) e Centro-Oeste (10,7%). O Norte registrou o menor número de acordos, ficando com 6,6%.

Entre os estados, o Rio de Janeiro deteve a maior concentração de negociações no Sudeste, com 12,8%. Nas outras regiões, o resultado foi o seguinte: Amazonas (4,1% no Norte), Bahia (9,3% no Nordeste), Goiás (5,9% no Centro-Oeste) e Rio Grande do Sul (11,4% no Sul).