Ascensão profissional é o principal objetivo dos aprovados nas Etecs

Questionário foi respondido por 81.566 aprovados no Ensino Técnico e Médio no ato da inscrição para o teste

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Pesquisa realizada pela FAT (Fundação de Apoio à Tecnologia) constatou que facilitar a ascensão profissional é o principal motivo que leva os estudantes a prestarem o exame para as Etecs (Escolas Técnicas Estaduais) no estado de São Paulo.

O levantamento, que faz parte do relatório socioeconômico do vestibulinho para o 1º semestre de 2011, revelou que 33% dos candidatos pretendem entrar nos cursos com essa intenção.

O questionário, de preenchimento facultativo, foi respondido por 81.566 aprovados no Ensino Técnico e Médio no ato da inscrição para o teste.

Aprenda a investir na bolsa

Destes, 30% buscam melhorar o seu desempenho profissional, 17% estão interessados em uma formação mais específica e 12% querem aumentar o conhecimento na área. Opções como “preciso de um título profissional de nível técnico” e “por ser um curso gratuito” representam 3% cada.

Perfis profissionais
Dos 62.404 estudantes que se candidataram a uma vaga para o Ensino Técnico, 49% não trabalham, 28% atuam fora da área escolhida no vestibulinho e 13% já atuam na área do curso.

Outros 8% estão desempregados, sendo que, desses, 6% já trabalharam na área do curso e 2%, não.

“Se você não tem diploma nem experiência profissional, fica muito difícil conquistar uma vaga no mercado de trabalho. O desemprego entre os jovens é duas vezes maior do que com as pessoas maiores de 30 anos”, afirma o coordenador de Ensino Médio e Técnico do Centro Paula Souza, Almério Melquíades de Araújo.

Com relação ao perfil dos candidatos aprovados nas Etecs, 34% têm entre 18 e 23 anos e 33%, até 17 anos. No Ensino Médio, 99% dos 19.162 aprovados têm até 17 anos. 

De acordo com a pesquisa, o nível de empregabilidade dos formandos nas escolas técnicas é de 73%.

PUBLICIDADE

Acesso
Conforme apontou o estudo, percentual superior a 70% dos aprovados no último “vestibulinho” introduzido é da rede pública de ensino.

Desde 2006, o Sistema de Pontuação Acrescida beneficia candidatos afrodescendentes (com bônus de 3% nas notas) e oriundos do ensino público (10% de acréscimo). Se o candidato estiver nas duas situações, acumula 13%.

Neste último vestibulinho, 28% dos aprovados se declararam afrodescendentes e 24% receberam os 13% de bônus.