20 empresas mais atrativas para trabalhar em negócios e tecnologia, segundo escolha de universitários

Universum ouviu mais de 26 mil estudantes do país para ranking

Giovanna Sutto

Publicidade

Empresas como Google, Amazon, Ambev, Microsoft e Netflix são referências de lugares em que os jovens brasileiros que estudam nas áreas de negócios e tecnologia mais desejam trabalhar, segundo o relatório “Pesquisa de Talentos 2022”, da Universum, consultoria de carreira e marca presente em mais de 20 países.

Foram ouvidos 26.274 estudantes brasileiros de 126 universidades de todo o país para descobrir as opiniões e os pontos de vista sobre objetivos de carreira e empregadores ideais de estudantes do Brasil. Do total de entrevistados, 53% têm entre 20 e 23 anos. Outros 24% dos estudantes possuem entre 34 e 29 anos. E outros 21% entre 16 e 19 anos. A pesquisa foi feita entre outubro de 2021 e maio de 2022.

O estudo aborda sete áreas de atuação, mas a reportagem selecionou duas delas: negócios e tecnologia. As empresas que figuram nas duas categorias, para os estudantes, têm um perfil em comum: oferecem algum formato de jornada flexível.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Para Flora Minardi, diretora da Universum no Brasil, as empresas estão priorizando formas de trabalho menos restritivas para atrair uma diversidade de talentos.

“E isso é muito interessante porque, na América Latina pré-pandemia, a questão do teletrabalho não era uma opção. As empresas tiveram que se adaptar e as condições de trabalho flexíveis fazem parte da proposta de valor”, avalia.

Confira as 20 empresas preferidas dos estudantes em negócios e tecnologia em 2022:

Continua depois da publicidade

Negócios  Tecnologia 
1 Google 1 Google
2 Itaú Unibanco 2 Microsoft
3 Nubank 3 Amazon
4 Banco do Brasil 4 Apple
5 Banco Bradesco 5 Nubank
6 Governo Federal 6 Facebook
7 Santander 7 Netflix
8 Ambev 8 Samsung
9 Amazon 9 IBM
10 Netflix 10 Intel
11 Apple 11 Dell Technologies
12 Petrobras 12 Governo Federal
13 Globo 13 Sony
14 The Coca-Cola Company 14 Itaú Unibanco
15 Banco Safra 15 Oracle
16 Microsoft 16 Banco do Brasil
17 Nike 17 Banco Bradesco
18 Grupo XP 18 Santander
19 Samsung 19 Ambev
20 Magazine Luiza 20 Nike

Na área de negócios, o Google e Itaú mantêm, respectivamente, o primeiro e o segundo lugar desde 2019. Bradesco, Banco do Brasil, Ambev e Santander figuram em alguma posição no top 5 há quatro anos. Em tecnologia, Google e Microsoft, nesta ordem, lideram o ranking desde 2019.

Vale lembrar que o setor de tecnologia como um todo vem enfrentando uma concorrência acirrada por talentos. A Brasscom (Associação de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação) estima que serão criadas cerca de 797 mil vagas de trabalho no setor até 2025 no Brasil, com uma média de 159 mil postos de trabalho por ano.

A projeção da associação, no entanto, é de que haja um déficit de 106 mil talentos por ano justamente pela falta de profissionais qualificados. Nesse sentido, os novos estudantes que ingressarão no mercado de trabalho poderão ajudar a minimizar, em parte, este problema nos próximos anos.

Critérios de escolha

Para escolher as empresas, os entrevistados definiram os seguintes critérios: primeiro, a companhia precisa ter profissionais “referência na área de atuação” e, depois, oferecer “desenvolvimento pessoal” e “salários futuros altos”. A inovação e o “secure employment” também foram levados em conta.

Desigualdades

O estudo também mostra a média mensal salarial esperada pelos jovens talentos no primeiro trabalho após a graduação. O que se observa é uma desigualdade de gênero desde o início da jornada profissional: mulheres esperam ganhar 18% menos que homens.

Enquanto a média geral é R$ 5.327, os homens esperam ganhar R$ 5.978 e as mulheres R$ 4.923, ambos os casos consideram a média das respostas dos entrevistados.

Giovanna Sutto

Repórter de Finanças do InfoMoney. Escreve matérias finanças pessoais, meios de pagamentos, carreira e economia. Formada pela Cásper Líbero com pós-graduação pelo Ibmec.