Aposentados querem parcela do 13º em junho e aumento salarial

Reivindicações foram definidas por centrais sindicais. As discussões devem começar após o Carnaval

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Aposentados e pensionistas devem passar a receber a primeira parcela do décimo terceiro em junho. Os que ganham mais do que R$ 350, por sua vez, poderão contar com reajuste igual ao dado para o salário mínimo. Esses foram os dois pontos citados na última terça-feira (30), durante encontro realizado entre centrais sindicais e o ministro da Previdência Social, Nelson Machado.

A reunião contaria com a participação do ministro do Trabalho, Luiz Marinho (Trabalho), no entanto, problemas de saúde que acometeram o dirigente da pasta impossibilitaram sua presença.

Igual ao do mínimo

“Essa é uma discussão que temos com o governo desde o início do ano passado”, afirmou o dirigente do Sindicato dos Aposentados da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Luiz Epaminondas.

Aprenda a investir na bolsa

Segundo a proposta, o reajuste será de 8,57%. Dessa forma, o ganho ficaria igual ao empregado aqueles que recebem R$ 350 mensais. “Temos sentido um arrocho salarial em relação ao mínimo”, justificou Empaminondas.

Antecipando

Além disso, as centrais querem que o aumento seja antecipado a cada ano. Veja: em 2006, foi em maio; este ano, será em abril; em 2008, será em março; até que, a partir de 2010, o mês para o reajuste deve ficar fixado em janeiro.

O presidente do Sindicato dos Aposentados da Força Sindical, João Batista Inocenti, detalhou que, dessa forma, a pessoa pode fazer antes as compras de fim de ano (fugindo dos altos preços praticados da época comercial) ou, então, aplicar e ganhar a rentabilidade até dezembro.

“Todos os trabalhadores recebem esse adiantamento. Também queremos o direito“, explicou.

Outros pedidos

Além disso, a Força, a CUT, a Confederação Brasileira de Aposentados (Cobap) e o Sindicato dos Aposentados da Confederação Geral dos Trabalhadores querem a criação de um cronograma para o pagamento de precatórios, implantação plena dos benefícios previstos no Estatuto do Idoso e participação nas discussões da seguridade social e da Previdência.

“O dinheiro também é nosso, queremos poder opinar sobre o seu destino”, explicou Inocenti.

Após o carnaval

PUBLICIDADE

Conforme o representante da Força, os pedidos serão protocolados e encaminhados ao presidente Luiz Inácio da Silva e aos ministros Marinho e Machado. As negociações, afirmou, devem começar logo após o Carnaval.

“Quando sentamos em uma mesa para negociar, dificilmente se consegue tudo. Mas queremos pelo menos o aumento salarial”, finalizou.