Aposentado: quer voltar ao trabalho depois de alguns anos parado? Veja dicas

Especialistas recomendam mostrar flexibilidade, reativar o networking e ter postura pró-ativa na busca por oportunidades

SÃO PAULO – Alguns dados já anunciaram que as empresas estão dispostas e, até muito interessadas, a contratar profissionais aposentados, que acumulam longa experiência em determinadas funções. A questão é: como esses profissionais devem fazer a retomada de suas carreiras?

A headhunter da De Bernt Entschev Human Capital, Emanuele Mourão, explica que, há algum tempo, no Brasil, as empresas estão enfrentando escassez de mão de obra especializada, sobretudo nas diversas áreas de engenharia, direcionadas, por exemplo, à infraestrutura.

“A falta de mão de obra especializada faz as empresas voltarem a querer esses profissionais mais velhos, que têm grande experiência em atividades especializadas”, explica Emanuele. “Imagine quando uma empresa ganha uma licitação para construir um aeroporto ou uma hidrelétrica? Ela não tem tempo de esperar o profissional novo ter experiência, ela precisa de gente preparada”.

PUBLICIDADE

Retomada da carreira, retomada do networking
Pois bem, se o mercado está demandando esses profissionais, vale seguir algumas dicas para conquistar as oportunidades. Tanto Renata quanto o diretor de projetos da Bazz, Edvaldo Rodrigues, enfatizam a retomada do networking. “O networking continua sendo uma forma bastante eficaz de recolocação. O seu contato pode não encontrar uma vaga na empresa onde está, mas pode direcionar para outra”, explica Rodrigues.

Vale tudo: contatar antigos chefes, ex-colegas de trabalho, se inscrever nas redes sociais, sobretudo o LinkedIn. O objetivo é mostrar que está procurando, que está interessado em alguma oportunidade. Renata ainda sugere que o interessado faça cursos, pois, por meio deles, ele estabelece novas redes de contatos, ainda mais atualizadas. 

Mostre-se
Renata ainda lembra que será necessário ter uma postura pró-ativa. É preciso vasculhar sites de vagas ou de empresas especializadas em recolocação. “Ele tem que procurar as empresas de recrutamento e seleção, tentar descobrir o e-mail de headhunter. As organizações têm muito interesse nesse profissional, mas sua grande dificuldade é encontrá-los”, diz.

Rodrigues concorda. “É preciso uma postura pró-ativa e não esperar que a empresa vá buscá-lo dentro de casa”. Além disso, o especialista avalia que não é tão simples assim retornar ao mercado de trabalho. Por mais que as empresas estejam interessadas e contratando, é preciso mostrar flexibilidade.

Na prática, o interessado deve mostrar que tem disponibilidade de horário e flexibilidade em relação ao modelo de contratação. “Por serem profissionais mais velhos, as empresas podem querer contratá-los como autônomos, como terceirizados e não como CLT”, afirma Rodrigues.

Saber lidar com essa demanda pode facilitar na hora da contratação. Além disso, vale lembrar que os planos de saúde para profissionais mais velhos é mais oneroso para as empresas, portanto, o profissional deve saber enxergar sua remuneração mais os benefícios como um pacote e não apenas olhar o salário.

PUBLICIDADE

Ainda sobre a remuneração, Renata diz que não se deve colocar no currículo o quanto se deseja ganhar. “A empresa vai definir o salário”. Os profissionais técnicos, estão cada vez mais valorizado e o mercado, finaliza Renata, “está pagando super bem”.