Apesar da crise, a demanda por executivos financeiros será mantida

Brasil está em quarto lugar, com 30% dos entrevistados pretendendo aumentar o número de executivos

SÃO PAULO – A demanda
por executivos na área de finanças e contabilidade se manterá no Brasil nos próximos seis meses. O País ocupa a quarta posição quando o assunto é contratação, já que 30% dos entrevistados pretendem aumentar o número de executivos nessas áreas no próximo semestre.

Os dados fazem parte da pesquisa FD Suvery, desenvolvida pela Robert Half , com mais de 1500 executivos de 14 países, sobre a intenção de contratar.

De acordo com o diretor geral da Robert Half, Ricardo Bevilacqua, os números denotam o bom momento que vive o mercado de contratações brasileiro, apesar da crise.

PUBLICIDADE

“O Brasil é um dos países que manterá uma demanda alta por profissionais em 2009, ainda acima de oferta de mão-de-obra qualificada”, afirmou Bevilacqua.

Ranking

O levantamento constatou que Dubai é o país que mais pretende contratar novos executivos no segmento financeiro e contábil (36%). Em seguida, aparecem Hong Kong e Nova Zelândia, ambos com 31%.

A Espanha é o país com o menor índice, com 5%, seguida pela Irlanda e pelo Reino Unido com 6% e 7%, respectivamente.

Outros aspectos

Quando questionados sobre a intenção de fazer mudanças na sua equipe de trabalho, no próximo semestre, os espanhóis lideraram as respostas negativas, com 73%, seguidos pela Grã -Bretanha, com 65%. No Brasil, 46% dos empresários não pensam em mudar seu quadro de colaboradores na área financeira.

Entre os países que não pretendem reduzir o número de trabalhadores no ramo de finanças e contabilidade, destacam-se a França, com 11%, e a Itália, na segunda posição, com 8%. Já no Brasil o percentual é de 4%.

No Brasil, a pesquisa consultou 99 profissionais de finanças e contabilidade no País, entre os meses de outubro e novembro do ano passado.