Apesar da boa fase do Japão, salário não deverá subir em 2006

Com o alto número de estrangeiros trabalhando no país, remuneração média dos brasileiros não deve aumentar

Tesouro Direto

SÃO PAULO – Os brasileiros que trabalham ou estão considerando trabalhar no Japão, animados com a boa fase da segunda maior economia do mundo, devem ser cuidadosos: a perspectiva de salário para os dekasseguis, estrangeiros que trabalham no país, é incerta.

A época em que os melhor salários foram pagos aos brasileiros no Japão foi o início da década de 90, período em que a economia do país estava a todo vapor e a mão-de-obra, escassa, forçando o governo a facilitar a entrada de estrangeiros, como brasileiros descendentes de japoneses até a terceira geração.

Economia e salários se estabilizaram

Da segunda metade da década até o começo do novo milênio, o país atravessou uma crise econômica, que levou as empresas à uma forte reestruturação com corte de postos de trabalho e redução das remunerações.

PUBLICIDADE

Nos últimos anos, apesar da recuperação da economia japonesa, as condições não melhoraram muito, e os salários ainda são menores que os registrados no início do fenômeno dekassegui, como se pode conferir na tabela abaixo.

Além disso, algumas empresas restringiram e até mesmo acabaram com a possibilidade de o funcionário cumprir horas extras, justamente o fator que contribuía para se juntar reservas financeiras.

Concorrência com outros estrangeiros

É bem verdade que, diante do envelhecimento da população, e queda da natalidade, cada vez mais a economia japonesa depende de mão de obra estrangeira. Contudo, isso nao necessariamente significa melhores perspectivas para os brasileiros, uma vez que o número de estrangeiros trabalhando no Japão já é alto. Além disso, existe o risco de redução dos salários, pois se o governo japonês afrouxar a entrada de trabalhadores asiáticos, que recebem menos que os brasileiros, a média de salários cairá.

Em contrapartida, como lembra, o presidente de uma empreiteira, Ricardo Minoru Koike, lembra que o custo de vida também diminuiu no período, o que reduz o impacto da baixa salarial. Além disso, nenhuma previsão é certeza, por definição. Existem diversas variáveis que podem influenciar a economia do país e, conseqüentemente, a remuneração dos dekasseguis.

Confira as médias salariais

A tabela abaixo inclui dados referentes à remuneração dos trabalhadores estrageiros nos setores que melhor pagam da economia japonesa. Vale notar que, esses setores, além de pagarem um salário mensal atrativo, também se destacam por permitirem que o trabalhador faça até 3 horas extras por dia.

SetorSalário mensalNota
AlimentosEntre 290 mil e 315 mil ienesAté 1,2 mil por hora, com 2 a 3 horas extras dia
Auto-peçasEntre 350 mil e 385 mil ienesAté 1,4 mil por hora, com 2 a 3 horas extras dia
Construção370 mil ienesAté 1,5 mil por hora, com 2 a 3 horas extras dia
EletrônicosEntre 350 mil e 385 mil ienesAté 1,4 mil por hora, com 2 a 3 horas extras dia

 

Fonte: Tudo Bem