Apenas 11% dos brasileiros conseguem se comunicar em inglês

A língua é ainda a preferida pelo mercado, uma vez que 80% das entrevistas em idioma estrangeiro são realizados em inglês

SÃO PAULO – Apesar de o inglês não ser considerado mais um diferencial no currículo, um levantamento realizado pela Catho revelou que apenas 11% dos profissionais conseguem se comunicar sem dificuldade no idioma. Entre estes, somente 3,4% conseguem falar e entender fluentemente sobre qualquer assunto em inglês.

Outros 12,4% dos entrevistados disseram que falam, escutam e escrevem com alguma dificuldade sobre assuntos cotidianos e específicos da área. Já 24,9% leem textos e escutam conversas simples, falam e escrevem frases básicas em inglês. 

Outros 28,2% não falam nem escrevem, mas conseguem ler e/ou ouvir textos/conversas simples, enquanto 23,5% disseram que não têm conhecimento no idioma.

PUBLICIDADE

Pelos dados, a língua inglesa é ainda a preferida pelo mercado, uma vez que 80% das entrevistas em idioma estrangeiro são realizados em inglês. O segundo idioma mais utilizado nas entrevistas é o espanhol, com 13%.

Nível hierárquico
A pesquisa mostrou ainda que, mesmo o inglês sendo uma língua positiva para profissionais de qualquer nível hierárquico, são os cargos mais altos que mais se preocupam com a aprendizagem do idioma.  Os destaques ficam com os diretores, cujo percentual é de 11,2%, e gerentes, com 6,4%.

Entre os coordenadores/supervisores, o indicador chega a 3,2%, enquanto para os analistas, o número de profissionais com fluência em inglês é de 3,8%. Vale destacar também o conhecimento em outro idioma pelos estagiários (3,4%), superior a dos assistentes (1,3%) e auxiliar (1,4%).

“Esse crescimento de estagiários que possuem fluência em outros idiomas é um reflexo de jovens de uma nova geração que já se preocupa com o futuro e se prepara para uma ascensão mais rápida no mercado”, finaliza o diretor de Marketing da Catho Online, Adriano Meirinho.