Nota de falecimento

Aos 91 anos, morre Samuel Klein, fundador da Casas Bahia

Sob sua gestão, a Casas Bahia se tornaram um ícone do varejo para classes populares, com o crescimento da oferta de crédito

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Aos 91 anos, morreu Samuel Klein, nesta quinta-feira (20), comunicou a assessoria da Via Varejo. O bilionário era fundador da Casas Bahia, uma das maiores redes varejistas do Brasil e havia acabado de comemorar seu aniversário, cinco anos atrás. 

De acordo com o portal iG, Klein morreu de insuficiência respiratória após 15 dias internados no hospital Albert Einstein e agora está sendo velado no Cemitério Israelita do Butantã. “Com seu espírito empreendedor, criou os alicerces sólidos de uma companhia e foi um dos principais colaboradores para o desenvolvimento do varejo brasileiro”, afirma o comunicado da Via Varejo.

Sob sua gestão, a Casas Bahia se tornaram um ícone do varejo para classes populares, com o crescimento da oferta de crédito. A família Klein esteve envolvida em uma disputa pública com Abílio Diniz sobre os rumos do negócio que fundou, após a fusão entre os grupos da Casas Bahia e Pão de Açúcar. 

PUBLICIDADE

Judeu, Samuel nasceu na Polônia, em 15 de novembro de 1923 e ali viveu até a Segunda Guerra Mundial, quando foi levado para um campo de concentração. Klein chegou a ser levado para o campo de concentração de Auschwitz, o mais famoso dos campos nazistas, em 1944, mas sobreviveu a um dos maiores genocídios que a humanidade passou. 

Ele encontrou com a família depois da guerra e resolveu emigrar para a América do Sul, enquanto alguns foram para os Estados Unidos e Israel. Em 1952, poucos anos depois de chegar ao Brasil, Klein fundou a Casas Bahia em São Caetano do Sul, que veio a se tornar uma potência varejista anos depois. 

Klein sempre foi considerado um gestor centralizador. Seu filho e seu sucessor, Michael Klein, foi quem fechou a fusão com o Pão de Açúcar. Sua fortuna pessoal era estimada em R$ 1,48 bilhão, tornando-se um dos homens mais ricos do Brasil. A família, porém, era estimada de ter uma fortuna de mais de R$ 4,6 bilhões.