Antes de tomar decisão profissional, consulte um “advogado do diabo”

Ele irá evidenciar pontos negativos, deve ter percepção e ser objetivo; veja como usá-lo e suas vantagens

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Você pretende mudar de emprego e logo consulta sua família. Quer iniciar um novo projeto e pede auxílio para seu melhor amigo no trabalho. É claro que estas pessoas querem seu bem e, por confiarem em você, sempre o vão incentivar.

Ao tomar qualquer atitude profissional, é claro que você deve consultá-los, mas também precisa ter noção de que somente ter esta visão da situação não poderá ser o mais adequado: você precisa de um “advogado do diabo”.

Quem é ele?

Quando você pede para imaginar uma casa, enquanto alguns já visualizam uma mansão, outros pensam apenas num sobrado. Estes dois tipos de pessoas devem ser consultados antes da tomada de decisão. Porém, é sempre bom ter alguém que conteste.

PUBLICIDADE

O “advogado do diabo” é aquela pessoa na qual você tem confiança, que tem mente aberta, conhecimento sobre o assunto e que é criativa. Deve ter percepção, ser objetivo e saber solucionar problemas.

Ele é mutável!

Estas características o fizeram pensar apenas em uma pessoa? Pois adotar somente um “advogado do diabo” não é o mais indicado.

Se esta pessoa está muito envolvida no assunto, poderá ter uma visão parcial. Sua mulher ou filhos podem discordar da sua mudança de emprego se você for ganhar menos, afinal, eles dependem desta diferença e terão que conter gastos. Já seu colega de trabalho não aprovará o novo projeto, mas a atitude pode estar sendo tomada porque ele já está atolado de trabalho.

Como usá-lo?

Você pode ter mais de uma pessoa que exerça este papel. Marque um encontro individual com eles e exponha sua idéia. Guarde o ponto de vista de cada um, mas tendo discernimento do que pode estar incoerente. Provoque-os para que exponham opiniões e, se possível, até discuta. Sempre dê tempo para que possam pensar sobre o assunto.

As vantagens de fazer isso é que você terá aspectos que antes não tinham sido notados, já que você estava preso a uma determinada realidade ou somente aos pontos positivos. Depois disso, é hora de pensar muito sobre o assunto, porque mesmo com toda a ajuda necessária, a decisão é sua!