Amnésia no currículo pode custar sua carreira

Pesquisa realizada pelo site iProfile revelou que 73% dos selecionadores já rejeitaram candidatos por falta de detalhes no currículo

SÃO PAULO – O currículo é, com certeza, um dos mais importantes documentos que temos. É a nossa vitrine, a porta de entrada para o mercado de trabalho. Por meio dele, podemos promover os pontos fortes e as batalhas vencidas ao longo da carreira, para conquistar o emprego dos sonhos e aquele salário invejável.

Entretanto, uma dúvida fica quando vamos pôr no papel nosso histórico profissional. O que deve ser incluído e o que deve ser rejeitado? E mais: quais são as partes mais importantes de um currículo? O que os empregadores mais valorizam?

Uma pesquisa realizada pelo site iProfile revelou que 73% dos selecionadores já rejeitaram candidatos por falta de detalhes no currículo.

Informação básica

PUBLICIDADE

De acordo com o estudo, os empregadores consideram como segundo fator mais importante para escolher um candidato as conquistas obtidas ao longo da carreira – em primeiro lugar, está a experiência profissional.

Para se ter uma idéia, quase um quarto deles disseram que os candidatos poderiam esperar salários 15% mais altos se incluíssem esse tipo de informação no CV.

Nada menos que três quartos dos selecionadores descartaram candidatos que não incluíram suas conquistas no CV, o que sugere que as pessoas sofrem de amnésia ao elaborar seus currículos, diz o estudo. A pesquisa questiona se elas teriam receio de se mostrarem ou se venderem.

Mas concluiu que a hipótese mais provável é a de que o fenômeno tenha mais a ver com a forma com que os currículos são elaborados. A atividade é relegada apenas às épocas em que os profissionais sentem necessidade de procurar emprego e é feita em duas horas, no máximo, de acordo com a pesquisa.

Duas horas para escrever sobre toda uma vida profissional? É pouco. “Claramente, as pessoas não se lembram dos ótimos resultados obtidos em empregos anteriores”, sugere o estudo.