Ambiente de trabalho: você conhece os ladrões do tempo?

Eles impedem que você realize suas atividades como deveria, mesmo trabalhando por mais tempo: são os vilões da produtividade!

SÃO PAULO – Por mais que tente, seu trabalho não está rendendo? Passa horas executando a mesma atividade? Está fazendo hora extra, mas mesmo assim não consegue entregar os projetos no prazo?

Pois saiba que o problema pode não estar em você. Isso porque, no mundo corporativo, existem os ladrões do tempo. São fatores que fazem com que o trabalho realizado não siga em frente. Você sabe quais são eles?

Falta de clareza

Não saber se comunicar bem pode causar perda de tempo. Pense e responda: você explica algo, mas sempre existem dúvidas por parte das pessoas? Então, ou você está falando como não deve ou a pessoa não está se esforçando para entender. Ao fornecer explicações, vá para um ambiente fechado e com pouco barulho, o que melhora o entendimento.

PUBLICIDADE

Além disso, os projetos rendem mais quando a comunicação é mais eficiente, já que eles não precisam ser refeitos a todo o momento. A falta de clareza é um ladrão de tempo e este é o que mais pode ser evitado, com uma boa conversa.

Interrupções

Concentração é a principal ferramenta para que seu trabalho tenha resultados rápidos e, por isso, tudo o que a tire e que lhe faça dispersar pode ser considerado um ladrão de tempo. Quando você está escrevendo um texto, goste que o chamem por telefone, e-mail ou que façam uma pergunta?

Se a resposta for não, é porque você reconhece a importância da concentração para um bom trabalho e o pior ladrão de tempo: a interrupção. Ela faz com que você simplesmente, como diz o ditado popular, “perca o fio da meada”. Até retomar a atividade, já se foram valiosos minutos, ou horas.

Reuniões desnecessárias

As reuniões desorganizadas são uma grande perda de tempo. Caso sejam feitas sem necessidade, podem gerar um dia sem resultados.

Não deixe que elas durem por muito tempo. Este momento poderia ser utilizado para os primeiros passos do projeto, por exemplo. É claro que é preciso sempre uma discussão sobre procedimentos e caminhos a seguir. No entanto, somente refletir não leva a resultados, é preciso colocar em prática.