AO VIVO Radar InfoMoney: Como discursos de Bolsonaro e Trump na Assembleia Geral da ONU impactaram as bolsas? Assista ao programa desta terça

Radar InfoMoney: Como discursos de Bolsonaro e Trump na Assembleia Geral da ONU impactaram as bolsas? Assista ao programa desta terça

Alunos de Direito e Engenharia são os que mais buscam aprender francês

Algumas universidades do Brasil fizeram acordo com a França, o que possibilita uma especialização fora do País

SÃO PAULO – Nos últimos anos, o interesse por aprender a língua francesa tem crescido no Brasil. De acordo com a coordenadora do curso de francês do Centro Europeu, Giselda Maria Ross, a procura é maior pelos alunos que estudam Direito e Engenharia.

“Alguns dos principais estudos publicados nestes segmentos foram escritos originalmente em francês. Por esse motivo, os estudantes criam certo carinho pelo idioma e resolvem aprendê-lo como uma ferramenta para facilitar o processo de absorção de conhecimentos e, também, para aumentar o leque de materiais disponíveis para estudo”, diz.

Universidade francesa
Ela afirma ainda que algumas universidades do Brasil fizeram acordo com as universidades francesas, o que possibilita uma especialização fora do País, ou em alguns casos, até dupla certificação.

PUBLICIDADE

É o caso do aluno de Engenharia Mecânica da UFPR (Universidade Federal do Paraná), Rafael Bianco Erbano. Ele cursa francês há 10 meses e conseguiu uma bolsa de estudos na França, onde irá concluir a graduação na UTT (Universidade Tecnológica de Troyes).

“Assim como muitos alunos de francês, eu resolvi aprender o idioma por entender que ele irá ajudar profissionalmente. Eu tenho uma viagem agendada para a França, onde eu vou morar por dois anos. Tenho alguns amigos, também estudantes de Engenharia, que estão cursando francês para aproveitar estas mesmas oportunidades”, diz Erbano.

Diferencial
Além de aumentar as chances no mercado de trabalho, Giselda afirma que a procura pelo francês cresceu porque a língua é considerada um diferencial no currículo, já que atualmente já é exigido que os profissionais tenham conhecimento em inglês.

Os brasileiros também deixaram de acreditar que o francês é uma idioma “elitizado”. “Não passa mais esta imagem. O francês caiu no gosto do brasileiro. A língua é acessível a todos, não é só para elite. Está na moda e ficou mais popular”, declara Giselda.

De acordo com a especialista, a duração da curso pode variar de um ano e meio a três anos e meio, dependendo do módulo escolhido pelo aluno. “Aprender francês não é difícil, as pessoas se encantam e isso é estimulante”, finaliza.