Além da queda da renda, horas pagas na indústria também caíram em 2003

Indústrias que atendem ao mercado interno tiveram a maior redução no número de horas pagas em 2003

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As indústrias que atendem ao mercado interno tiveram a maior redução no número de horas pagas em 2003. Esta é a conclusão do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que divulgou dados da Pesquisa Industrial Mensal do Emprego e Salário do IBGE nessa terça-feira.

Queda em dezembro e no acumulado do ano

Em dezembro de 2003, o total do número de horas pagas aos trabalhadores da indústria teve queda de 0,7% em relação a novembro, já descontado o componente sazonal, após o ligeiro crescimento de 0,3% no mês de novembro em comparação com outubro. Este resultado mostra que a queda recente das taxas de juros não tem se refletido na indústria tanto quanto no varejo.

Foi registrado também uma queda de 0,8% no índice acumulado do ano. As elevadas taxas de juros vigentes no ano passado contribuíram para que a demanda interna se retraísse, prejudicando os trabalhadores que atuam no mercado interno. Na maioria dos setores industriais houve redução no número de horas pagas, com exceção dos que puderam aumentar as exportações no período.

Vestuário foi o mais prejudicado

Aprenda a investir na bolsa

A queda de 0,8% no acumulado de janeiro a dezembro é a nona baixa consecutiva desse indicador no ano de 2003. Para o resultado geral, contribuíram negativamente oito locais e nove setores industriais. Regionalmente, os maiores impactos foram observados em São Paulo (-1,3%), Rio de Janeiro (-4,3%) e Rio Grande do Sul (-1,8%). Em contrapartida, a maior contribuição positiva foi proporcionada pelo Paraná (3,3%).

No âmbito setorial, as maiores pressões negativas foram dadas por vestuário (-5,6%), outros produtos da indústria de transformação (-8,5%) e têxtil (-5,5%). Por outro lado, alimentos e bebidas (3,5%) e máquinas e equipamentos (5,2%) foram as maiores contribuições positivas para o cômputo geral.