Demissão

Aeroporto Internacional de Guarulhos demite 170 funcionários em três dias

Procurado pelo InfoMoney, a Gru Airport, empresa que administra o terminal de cargas do aeroporto, afirmou que não está se pronunciando sobre o assunto, mas confirmou as demissões

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Segundo informações do Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina), cerca de 170 funcionários do Aeroporto Internacional de Guarulhos foram demitidos entre esta quarta-feira (1) e esta sexta-feira (3). Desse total, 40 eram do terminal de cargas do aeroporto. O sindicato afirmou que o aeroporto possuía um total de 1.400 funcionários.

Foram demitidos funcionários dos setores de operações, de taxiamento de aviões, seguranças do saguão e do pátio de manobras das aeronaves e de manutenção da estrutura do aeroporto.

Procurada pelo InfoMoney, a Gru Airport, concessionária que administra o aeroporto, afirmou que realizou uma “reorganização no quadro de funcionários nesta semana”, motivada pela finalização das obras no aeroporto e pela forte queda no número de passageiros no setor de aviação. A empresa disse ainda que as demissões têm como objetivo “proteger o equilíbrio financeiro da concessionária, permitindo que a empresa possa honrar com os compromissos assumidos pelos próximos anos”.

Aprenda a investir na bolsa

A assessoria de imprensa do Sindicato contou ao InfoMoney que na segunda-feira (6) a entidade entrará com uma ação no Ministério Público no Trabalho, alegando que as demissões danificarão a segurança do aeroporto. Também foi comentado que o departamento jurídico do Sindicato está “empenhado em contornar a situação”. O motivo das demissões não foi informado à entidade.

Segundo a Gru Airport, a ação não impacta na operação aeroportuária. “Nos últimos quatro anos, a Concessionária investiu em tecnologias e processos que otimizaram suas operações e dentro dos melhores padrões do mercado, incluindo toda estratégia de segurança. A Concessionária ressalta, ainda, que cumpre todas as obrigações do Contrato de Concessão e da legislação pertinente ao setor aeroportuário”, disse a empresa em nota.