Quanto vale?

Administrador de banco de dados teve maior aumento de salário, veja lista

Pesquisa de Remuneração da Page Personnel mostra que a disputa por talentos inflaciona a folha de rendimentos das empresas

SÃO PAULO – A briga por profissionais qualificados está inflacionando a folha salarial de pagamentos das empresas, que estão gastando mais para contratar ou reter os talentos. Os dados são do Estudo de Remuneração 2012/2013 da Page Personnel.

Exemplo dessa valorização salarial pode ser observado no setor de Tecnologia da Informação. O salário de um administrador de banco de dados, em São Paulo, saltou de R$ 2,5 mil em 2011 para R$ 4,7 mil neste ano, alta de 88%, o maior aumento percentual.

Segundo o diretor-geral da Page Personnel, Gil Van Delft, a falta de mão-de-obra qualificada proporciona um enorme poder de barganha salarial aos profissionais que se enquadram no alto nível de exigência das empresas.

PUBLICIDADE

Outro setor destacado no levantamento é o de imóveis e construção. Motivados pela crescente demanda de mão de obra nas áreas de engenharia, infraestrutura, petróleo e gás e mercado imobiliário, o salário de um coordenador técnico passou de R$ 4,2 mil em 2011 para R$ 7,5 mil neste ano.

Finanças e vendas
No setor de finanças, o salário médio de um analista contábil júnior, em São Paulo, foi de R$ 3,5 mil em 2011 para R$ 4,5 mil este ano. No interior de São Paulo, o rendimento de um analista tributário fiscal pleno passou de R$ 4 mil para R$ 5,5 mil.

Na área de vendas, o salário do profissional de vendas técnico sênior e do coordenador de engenharia de vendas, passou e R$ 6,5 mil no ano passado para R$ 7 mil em 2012.

Engenharia e Suprimentos em alta
Segundo o estudo, o fato de que muitos engenheiros, depois de formados, resolvem não seguir a profissão, permite aos que seguem a carreira um poder de barganha ainda maior no momento da negociação salarial.

O salário e um técnico de manutenção no Rio de Janeiro, saltou de R$ 5,8 mil em 2011 para R$ 6,5 mil neste ano. Para o cargo de engenheiro ambiental sênior no interior de São Paulo, os ganhos saíram de R$ 4 mil para R$ 5, 1 mil em 2012. No Rio de Janeiro, a remuneração de um engenheiro químico passou de R$ 7,2 mil para R$ 8 mil.

A demanda por profissionais com foco em resultados financeiros também avançou. O salário de analista de comércio exterior pleno, em São Paulo, subiu de R$ 3,6 mil em 2011 para R$ 4,7 mil neste ano.

PUBLICIDADE

RH, Secretariado e Admininstrativo
A procura por um perfil mais estratégico na área de RH impulsionou os ganhos deste profissional. O salário para o cargo de remuneração e benefícios júnior, em São Paulo, saiu de R$ 4,5 mil em 2011 para R$ 5,5 mil em 2012. No caso de um business partner júnior no interior de São Paulo, os ganhos saltaram de R$ 3,3 mil para R$ 5 mil.

O estudo mostra que os profissionais que atuam em São Paulo e no Rio de Janeiro nas funções de suporte, como secretárias e equipe administrativa, convivem com realidades diferentes.

Um gerente de escritório sênior em São Paulo, tem rendimentos em torno de R$ 10 mil. No Rio de Janeiro, o salário de um profissional deste mesmo nível está em torno de R$ 6 mil.

Já um assistente administrativo júnior que atua em São Paulo ganha em média R$ 4 mil e no Rio de Janeiro os ganhos desse mesmo trabalhador gira em torno de R$ 2,3 mil.

Estabilidade
Os salários dos profissionais da área de seguros ficaram estáveis de uma forma geral. Os ganhos de um analista de crédito sênior saíram de R$ 5,5 mil em 2011 para R$ 6,5 mil neste ano.

Salários em queda
No caso do analista de custos e orçamentos, que atua no Rio de Janeiro, seus ganhos foram reduzidos. Caíram de R$ 3 mil em 2011 para R$ 2,5 mil neste ano.

Apesar da demanda por profissionais focados em resultados financeiros, os ganhos de um analista de PCP pleno recuaram de R$ 4,9 mil para R$ 4 mil, no Rio de Janeiro

No interior de São Paulo, duas posições do setor de marketing também apresentaram queda em seus rendimentos. O cargo de analista de marketing sênior e de inteligência de mercado sênior, que chegavam a R$ 5 mil no ano passado, caiu para R$ 3,3 mil, e R$ 4,2 mil neste ano, respectivamente.