Acreditar em futuro “cor-de-rosa” pode ser prejudicial à carreira

Segundo especialista, excesso de otimismo faz com que muitos profissionais bloqueiem a percepção de realidade

SÃO PAULO – Ser confiante e ter pensamento positivo são características importantes para quem quer ter sucesso na vida profissional. Contudo, a exemplo de outras áreas da vida, tudo tem um limite e apenas essas características não bastam para garantir uma trajetória brilhante.

Dessa forma, segundo alerta do consultor em gestão de pessoas com foco em Neurociência Comportamental, Eduardo Ferraz, acreditar em futuro “cor-de-rosa” pode ser prejudicial para a carreira.

“O ser humano é condicionado instintivamente a buscar o caminho mais fácil e toma decisões baseadas no prazer imediato. Por isso, tantas pessoas se endividam, cuidam pouco da saúde e deixam a carreira seguir por inércia”, diz.

PUBLICIDADE

Excesso de otimismo
De acordo com Ferraz, o excesso de otimismo faz com que muitos profissionais bloqueiem a percepção de realidade e não busquem se aprimorar, já que se julgam mais competentes do que realmente são, diminuindo a preocupação com a constante atualização profissional.

A atitude, explica, é prejudicial tanto para o profissional, que não investe em si mesmo, como para a empresa, visto que a situação gera sentimentos de angústia, raiva e insatisfação.

“O fato é que muitos profissionais deixam de se aprimorar em suas carreiras por terem uma autoavaliação distorcida. Esperar que o melhor aconteça em sua carreira, sem o devido esforço, é mera ilusão. Ninguém é promovido ou recebe proposta de trabalho maravilhosa apenas por sorte (…) Investir no autoconhecimento e ter uma análise clara de seus reais talentos faz uma enorme diferença”.