AO VIVO Do Zero Ao Gain: André Moraes fala sobre teoria de Dow, conceito de tendência e médias móveis

Do Zero Ao Gain: André Moraes fala sobre teoria de Dow, conceito de tendência e médias móveis

Ações de assédio moral movidas por funcionários são cada vez mais comuns

Empresários devem apostar na prevenção e conscientização da equipe para evitar este tipo de situação

SÃO PAULO – Quando se fala em assédio moral, nem todo mundo sabe exatamente o que isto significa. No entanto, este é um assunto que está em pauta dentro de muitas empresas e, inclusive, tem ido parar até mesmo na Justiça do Trabalho. Isto acontece quando um funcionário recebe maus tratos contínuos em sua empresa, trabalhando sob pressão constante, o que acaba interferindo na sua qualidade de vida.

As ações por danos morais refletem tratamentos que comprometem o bom desenvolvimento das atividades dentro da equipe de trabalho, como submeter o funcionário a situações de humilhação, causando assim danos à sua saúde mental. Este tipo de processo foi reconhecido há cerca de dois anos, quando se tornou mais uma modalidade de reclamação trabalhista.

A indenização não é padronizada, o que significa que seu valor será determinado com base em alguns critérios a serem definidos durante o julgamento, como por exemplo, o cargo do funcionário. Desta forma, quanto maior for a sua posição dentro da empresa, maior será a sua indenização, afinal de contas, um gerente está muito mais exposto aos demais funcionários do que o office-boy, por exemplo.

Soluções alternativas para a empresa

PUBLICIDADE

As ações por danos morais são regidas tanto pelo Código Civil, quanto pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), como forma de amparar o funcionário na Justiça. Neste sentido, a melhor alternativa, sem dúvida alguma, é evitar que este tipo de situação aconteça na sua empresa, pois depois que o caso parar na Justiça existe muito pouco que se pode fazer. Diante disto, o velho ditado “é melhor prevenir do que remediar” se aplica perfeitamente.

O assédio moral também é prejudicial antes mesmo do funcionário pensar em tomar a decisão de denunciar a empresa. Isto porque, ao trabalhar sob pressão, o funcionário não apresenta bom desempenho em suas atividades, o ambiente de trabalho torna-se tenso e desconfortável. Na verdade, a própria produtividade da empresa acaba sendo afetada pelo mau relacionamento entre patrão e empregado.

Caso a sua empresa seja grande o suficiente para que você mantenha uma certa distância de seus empregados, experimente implementar um programa de prevenção e conscientização em sua empresa. Os resultados são positivos, uma vez que permite o melhor entendimento dos funcionários, que passam a trabalhar melhor como equipe. Por fim, se você está disposto a investir nos seus funcionários, contrate um psicólogo para atendê-los em caso de necessidade.