Acha que já passou da idade para entrar na faculdade? Veja algumas dicas

Não é preciso abandonar o sonho de estudar por já ter passado dos 20 anos. Uma dose de coragem e preparo ajuda

SÃO PAULO – O sonho de ingressar em uma universidade é comum a muitos jovens. Contudo, diante do alto preço das mensalidades de instituições particulares, assim como da dificuldade de se entrar em uma faculdade pública por conta da alta competitividade, esse objetivo não chega a se tornar realidade para todos.

Diante dessa situação, os “pretensos” universitários acabam se rendendo às dificuldades, ingressam no mercado de trabalho em vagas que não exigem formação acadêmica e ficam nessa situação por muitos anos. Até que, alguns, com uma certa tranqüilidade financeira (ou não) decidem retomar o desejo antigo, encarar as dificuldades e começar uma nova etapa da vida: fazer um curso de nível superior.

Até quanto dá tempo?

A primeira pergunta que a recai sobre aquele que já não está mais com 20 anos é: até quando dá tempo de começar a estudar? Apesar de comum, a dúvida não deve ter influência sobre a decisão de quem a possui: não se encontram faculdades que proíbam a entrada de alunos pelo fator idade.

PUBLICIDADE

Existe ainda um tipo de instituição diferenciada para quem se encaixa nesse perfil: as faculdades direcionadas a pessoas com mais de 50 anos. Um exemplo é a Universidade da Terceira Idade da Universidade Federal de São Paulo (Uati/Unifesp), que tem dois campi: um na própria capital e outro em Santos. Na instituição, o curso tem duração de um ano e não exige provas e outras atividades para obtenção de nota.

Porém, se você deseja fazer um curso específico, não deixe que o receio de entrar em uma turma composta por alguns adolescentes retire suas forças. Ainda mais porque sua percepção pode estar completamente errada e o curso compreender um grande número de alunos “mais experientes”.

Preparando-se

Talvez esse seja o principal desmotivador daqueles que queiram entrar em uma faculdade: o vestibular. Principalmente quando a pessoa já está afastada da escola há bastante tempo e não sabe nem por onde começar a estudar.

Nesse caso, não há regra específica. Uma boa alternativa é procurar cursos pré-vestibulares. Mas, caso não haja interesse – ou dinheiro – para isso, dar uma olhada no material de seu filho ou de alguém em idade escolar é uma boa ajuda. Vale lembrar que as questões de processo seletivo normalmente são referentes ao conteúdo aprendido entre o primeiro e o terceiro ano do segundo grau.

Parte das universidades exige todas as matérias: Física, Química, Matemática, Biologia, Português, História e Geografia. Outras direcionam os questionários à área pretendida pelo vestibulando: Exatas, Humanas ou Biológicas.

Informe-se sobre o método utilizado na faculdade que você tenha interesse de ingressar. Para isso, a internet é uma ótima aliada.