A bebida do escritório: o que é exagero quando o assunto é o café?

Você sabe quantas xícaras são indicadas ao longo do dia? E em quais momentos da jornada de trabalho é indicado tomá-las?

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Você acorda de manhã e já toma um café. Chega ao escritório e, mecanicamente, já enche um copinho antes mesmo de sentar em sua mesa. Esperando o horário do almoço, para enganar a fome, lá vai outra xícara. Depois da sobremesa, por que não outra para despertar? Então, no período da tarde, em meio a uma rotina estressante, perde a conta de quantos cafés tomou. Será que está exagerando?

De acordo com a nutricionista Eda Maria Scur, quando o assunto é tomar café, estudos divergem quanto ao que é considerado um exagero. No entanto, é possível tirar uma conclusão: o profissional deve tomar, no máximo, algo em torno de quatro ou seis xícaras de 50 ml por dia, sendo que esta última medida já é considerada um abuso da bebida, principalmente se a pessoa é bastante sensível à cafeína.

Dia de trabalho

Durante o expediente no trabalho, bate a vontade e as pessoas já correm para o ambiente do cafezinho para tomar uma xícara, afinal, este também é um momento de confraternização. Porém, é preciso atentar ao relógio antes de recorrer à bebida do escritório para aliviar a tensão ou despertar. Isso porque, para quem é sensível ao café, existe um horário máximo do dia em que deve ingeri-la.

Aprenda a investir na bolsa

“O que se recomenda é que não seja tomado no final da tarde, para quem tem problemas para dormir. Neste caso, é indicado que se tome até as 17 horas, no máximo, porque o café fica agindo no organismo até umas 20h ou 21h”, afirmou a nutricionista.

Lado bom e lado ruim

Pesquisas realizadas ao redor do mundo criticam ou elogiam demasiadamente a bebida do escritório. Enquanto algumas a colocam como oxidante, uma vez que combate os radicais livres, outras afirmam que ela atenua a ansiedade. Dentre os pontos positivos, estão a melhora da capacidade mental, da atenção e o aumento do vigor. Dentre os negativos, ainda encaixa-se a taquicardia e a osteoporose.

“As pessoas muito acostumadas com o café, quando reduzem, entram em estado de abstinência. Então, ficam com insônia, ansiedade e taquicardia, todos os pontos negativos. Quando elas param, dá muita dor de cabeça. Por isso, é preciso evitar o excesso, para não ficar dependente da cafeína”, disse a nutricionista.

Evite tomar quando…

Para quem já é muito ansioso, tomar café antes de uma reunião ou de uma entrevista de emprego é um exagero. Se estará diante de uma situação que mexerá com o emocional – como a reunião para decidir um novo projeto, ou a dinâmica de grupo para o qual se preparou -, nada de tomá-la.
Por outro lado, se a pessoa precisa de muita atenção para a situação, a bebida é bastante indicada, principalmente se o profissional teve uma noite de sono mal dormida.