Dieese

97% dos reajustes salariais ficaram acima da inflação até julho

Das 307 negociações salariais que aconteceram no primeiro semestre apenas 0,5% ficaram abaixo do INPC

SÃO PAULO – No primeiro semestre deste ano, das 307 negociações salariais realizadas no Brasil, 97% delas ficaram acima da inflação aferida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

De acordo com o “Balanço das negociações dos reajustes salariais do 1º semestre de 2012”, divulgado nesta quinta-feira (30), pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos), enquanto 2,23% das categorias conseguiram reajustes superiores ao indicador, apenas 0,5% – equivalente a dois reajustes salariais – ficou abaixo desse índice.

 O resultado é o melhor em termos de negociações salariais desde 1996.

PUBLICIDADE

Índice dos reajustes
Conforme apurou o Dieese, 31,4% das 307 negociações analisadas resultaram em reajustes salariais de até 2% acima da inflação e 8,1% garantiram ganhos reais de mais de 5%. Na tabela a seguir é possível verificar todos os percentuais de reajustes:

Percentual de reajusteParticipação no total
Mais de 5% acima da inflação8,1%
De 4,01% a 5% acima da inflação5,4%
De 3,01% a 4% acima da inflação3,8%
De 2,01% a 3% acima da inflação

29,2%

De 1,01% a 2% acima da inflação31,4%
De 0,01% a 1% acima da inflação18,6%
Igual à inflação3%
De 0,01% a 1% abaixo da inflação0,5%
De 1,01% a 2% abaixo da inflaçãonulo
De 2,01% a 3% abaixo da inflaçãonulo
De 3,01% a 4% abaixo da inflaçãonulo
De 4,01% a 5% abaixo da inflaçãonulo
Mais de 5% abaixo da inflaçãonulo

Destaques por setor
Entre os setores da economia analisados, os que mais tiveram negociações que resultaram em reajustes acima da inflação neste ano foram o comércio e a indústria, com um percentual de 98% cada. Vale destacar que ambos os setores não apresentaram reajustes abaixo da inflação.

“Enquanto o primeiro concentrou um reajuste de 1% e 2% em 44% dos casos analisados, o segundo concentrou um reajuste de 1% e 2% acima do INPC-IBGE em 28% deles”, informou o Dieese.

O levantamento revela ainda que o setor de serviços apresentou a menor porcentagem nas negociações que resultaram em um reajuste acima da inflação. Neste setor, 94% ficaram acima do INPC e 1,3% ficaram abaixo da inflação. 

“Nos serviços, os aumentos reais se concentraram nas faixas entre 0,01% e 1% (23%), e de 1% a 2% (31%). Porém, nota-se neste setor um percentual expressivo de reajustes na faixa de ganho acima de 5% (13%)”, detalha a pesquisa.

PUBLICIDADE

Análise por região
Ao analisar as regiões do País, a constatação foi que todas tiveram reajustes acima do INPC. Enquanto a região Centro-Oeste, onde todas as 32 unidades de negociação consideradas conquistaram reajustes com ganhos reais nos salários, o Norte e Nordeste tiveram apenas um registro abaixo da inflação.