Exceção

9 bilionários que não concluíram nem o ensino médio

Henry Ford e John Rockefeller são alguns dos bilionários que abandonaram os estudos

SÃO PAULO – Embora um dos conselhos mais frequentes dos bilionários seja nunca deixar de estudar, alguns dos bilionários mais famosos da história fogem à regra – não somente fogem à regra como nem chegaram a terminar o colégio.

Como conta o Entrepreneur, pessoas famosas como Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, deixaram a universidade e, ainda assim, são bem sucedidas. E mesmo que algumas delas já tenham morrido e sejam de uma época em que o ensino superior não era tão acessível, conseguiram criar verdadeiras fortunas mesmo sem ter continuado os estudos.

Confira nove desses bilionários:

PUBLICIDADE

1. John D. Rockefeller
Embora já tenha falecido, o fundador da Standard Oil Company ainda é o homem mais rico de todos os tempos e teria um patrimônio de US$ 340 bilhões hoje em dia. E, surpreendentemente, o bilionário estudou brevemente no Ensino Médio e escrituração antes de buscar emprego, aos 16 anos.

2. Henry Ford
Aos 16 anos, Henry Ford deixou a fazenda de sua família para mudar-se para Detroit. Lá, ele começou a trabalhar como aprendiz em uma loja de máquinas e depois foi chefe de engenharia na Edison Illuminating Company, empresa de Thomas Edison.

Em 1896, Ford já construía seu primeiro carro e continuaria revolucionando com a invenção da linha de montagem. Seu patrimônio hoje seria de US$ 199 bilhões.

3. Amancio Ortega
Amancio não chegou nem a terminar o colégio. Ele parou de estudar aos 14 anos e começou a trabalhar como mensageiro para lojas locais. Em 1975, ele fundou a Zara, que acabaria se tornando um império no mundo da moda. Hoje, ele é o homem mais rico da Espanha, com uma fortuna de US$ 74 bilhões.

4. Kirk Kerkorian
O fundador do MGM Grand, famoso hotel e casino em Las Vegas, teria hoje um patrimônio de US$ 4 bilhões. Ele fundou o hotel em 1969, mas antes disso havia deixado de estudar na oitava série e se tornou um boxeador amador, piloto de avião na Segunda Guerra Mundial e, posteriormente, o magnata do resort.

5. Francois Pinault
Com participações em marcas como Gucci, Christie, Samsonite e Puma, Pinault, o quinto homem mais rico da França, não completou o colégio porque seus colegas de classe tiravam sarro de sua família pobre. Ele trabalhou na serraria de seu pai e hoje tem uma fortuna de US$ 13 bilhões, com uma coleção de mais de 2 mil obras de arte.

PUBLICIDADE

6. David H. Murdock
O bilionário não terminou o colégio e trabalhou em um posto de gasolina até entrar para o Exército norte-americano, em 1945. Quando retornou da Guerra, ele comprou seu primeiro negócio, uma lanchonete em Detroit.

Alguns anos depois ele comprou a imobiliária havaiana Castle & Cooke, que era dona da empresa de frutas Dole, que acabou se tornando a maior produtora de frutas e vegetais do mundo. Seu patrimônio hoje é estimado em US# 3 bilhões.

7. Richard Branson
Aos 16 anos, Branson deixou a escola por causa de sua dislexia, mas logo abriu seu primeiro negócio: uma loja de CDs por correspondência chamada Student Magazine, que futuramente iria se tornar a loja Virgin Records. Durante sua carreira, Branson dirigiu mais de 500 empresas e possui um patrimônio estimado em US$ 5 bilhões.

8. Carl Lindner Jr.
Durante a Grande Depressão, na década de 1930, o atual bilionário parou de estudar para entregar leite para a empresa de sua família. Posteriormente, ele fundou uma sorveteria com seus dois irmãos, que acabou se tornando a redeUnited Dairy Farmers, que já conta com 200 unidades.

Em 1984, ele comprou a marca Chiquita Brands e, em 1999, se tornou sócio e CEO da Cincinnati Reds. Na época em que faleceu, sua fortuna era de US$ 1,7 bilhões. Hoje, sua família possui um patrimônio de US$ 2,3 bilhões.

9. Joe Lewis
Lewis, o sexto homem mais rico do Reino Unido, deixou de estudar aos 15 anos para comandar o negócio de restaurações de seu pai, Tavistock Banqueting. Através da própria empresa, ele tem participações em mais de 200 empresas, como o time de futebol Tottenham Hotspurs, mais de 130 restaurantes e quatro centros médicos nos Estados Unidos, entre outras.

Estima-se que o patrimônio atual de Lewis é de US$ 5,3 bilhões, sendo que mais de um bilhão corresponde a sua coleção de arte.