Emprego

5 características que os profissionais de RH exigem

Embora o currículo conte muito e o número de formações e cursos seja algo relevante, algumas características são indispensáveis

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Os momentos em que fazemos entrevistas de emprego podem nos deixar confusos sobre qual a maneira certa de agir. Embora o currículo conte muito e o número de formações e cursos seja algo relevante, algumas características chamam a atenção dos profissionais de RH.

“São aqueles funcionários que vestem a camisa da empresa com atitudes primordiais especialmente neste momento de crise”, explica o consultor do escritório de gestão e consultoria corporativa TIEX, Samuel Lopes.

Confira as cinco características que mais chamam a atenção dos executivos:

PUBLICIDADE

1. Proatividade
Demonstrar disposição para fazer atividades que, necessariamente, você não é pago, é interessante. Participar de projetos ou ajudar um colega de seu setor demonstra que você está colaborando para o crescimento da companhia.

2. Aprenda a dizer não
É preciso ter personalidade e se posicionar – por exemplo, caso seu líder sugira uma ideia que te deixe desconfortável, não aceite de prontidão e tente negociar, expondo seu ponto de vista. Líderes precisam de pessoas que não tenham medo de falar quando não concordam com alguma coisa.

3. Saia da sua zona de conforto
O profissional deve ter uma visão analítica de onde sua área impacta na do outro e tentar ajudar as demais áreas a serem mais eficientes. Deve-se pensar no futuro e saber antecipar alguns possíveis problemas.

4. Espírito de equipe
Uma das dificuldades do ambiente de trabalho é lidar com pessoas que tenham ideias, pensamentos, ritmos e culturas diferentes. E trabalhar em equipe significa respeitar tais pontos de vista e trabalhar por um objetivo único para ter resultados mais eficientes.

5. Inovação
Novas ideias sempre são bem vindas ao ambiente de trabalho. Fale o que pensa, compartilhe suas ideias proponha mudanças e não tenha medo de ser diferente. As empresas procuram profissionais que fujam do pensamento “concordar para evitar conflitos”.