Carreira

3 erros imperdoáveis em currículos de executivos, segundo consultoria de RH

"Não existe um perfil profissional errado, o que pode acontecer é você não se encaixar em determinada empresa, mas com certeza há espaço em outra"  

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Com um mercado profissional sinalizando uma leve recuperação em meio à crise que o país ainda enfrenta, muitos profissionais estão buscando uma recolocação em suas carreiras – inclusive executivos de alto escalão. Para conseguir uma vaga de emprego, geralmente, o processo começa com o currículo, que é a porta de entrada do profissional.

Mesmo um executivo deve saber montar um bom CV. “O currículo ideal depende do que você está buscando. Não existe um perfil profissional errado, o que pode acontecer é você não se encaixar em determinada empresa, mas com certeza há espaço em outra”, afirma Roberta Giuliano, executiva e sócia da consultoria de RH Vertico Human Capital, em entrevista ao InfoMoney. Segundo ela, esse é o papel da empresa: encaixar o profissional na empresa que se adequa ao seu estilo de trabalho e carreira.

A consultoria, fundada em 2013 e com escritórios no Brasil e Peru, é especializada em contratações de executivos para posições estratégicas em diversos segmentos e carreiras do mercado.

Aprenda a investir na bolsa

Embora cada currículo deva ser direcionado para os objetivos do profissional, a executiva citou 3 erros que considera imperdoáveis em currículos de executivos. Confira: 

Erros de gramática: não é aceitável erros gramaticais nem em português, nem em inglês. “Essa é a coisa mais básica – ainda mais em um currículo de executivo. Erros assim mostram falta de cuidado e desinteresse por parte do candidato”, afirma Giuliano. Quando se é um profissional de alto escalão, espera-se muito mais em tudo.

Mentiras: essa dica parece óbvia, mas ainda existem profissionais que colocam informações que não são verdadeiras. “Você coloca no seu currículo tudo o que você pode comprovar. Se percebo que alguma informação não bate descarto na hora”, diz.

Currículo longo: “o recrutador não quer ler uma carta, cada vez mais temos menos tempo”, afirma a executiva. Por isso, sempre monte um CV objetivo, que conte suas experiências, histórico acadêmico e intelectual sem enrolação.

Além desse top 3, a executiva afirma que todo profissional deve ter cuidado com as redes sociais, especialmente o LinkedIn. “O LinkedIn é uma rede social profissional, você não deve postar uma foto na praia com uma cerveja na mão, embora uma foto dessa no Facebook seja aceitável”, explica. Segundo ela, cada vez mais os recrutadores vasculham as redes sociais para conhecer o candidato e seus hábitos.

Aos 43 anos, a executiva tem uma experiência de 20 anos na área de recrutamento. Ela explica que o currículo é muito mais que um papel. “É história de vida, que muitas vezes é pessoal também, não só profissional. Tudo tem um background, um pai militar pode explicar o tipo de liderança que o candidato tem, por exemplo. Tudo influencia em como a pessoa é e o que carrega consigo hoje profissionalmente”, diz.

PUBLICIDADE

Como funciona a contratação de executivos

Quando se trata da contratação de um executivo, existe uma preocupação sobre o ecossistema em que ele está inserido, segundo Giuliano. “É uma via de mão dupla: o candidato também precisa escolher se quer ou não mudar de empresa ou entrar para uma determinada companhia. Você está mexendo com todo um ecossistema. Por exemplo, se eu pego um profissional que mora em São Paulo, para levá-lo para Minas Gerais, ele vem acompanhado de esposa, filhos… mexe a estrutura familiar do profissional, é uma adaptação. E nós como recrutadores temos que avaliar bem isso”, afirma.

Ela explica que é preciso ter cuidado para ver se esse é o executivo certo, se esse é o momento certo para fazer a mudança, se é o momento pra esposa, da família. É uma responsabilidade, por mais que a oportunidade profissional seja muito boa.  

Na prática, a consultoria caça-talentos. “A Vertico é uma consultoria especializada, então só chega em nossas mãos quando são posições difíceis, quando a empresa já tentou internamento pelo RH e não conseguiu um profissional no nível que a posição exige.  Então chega para nós uma vaga com um perfil específico e nós vamos atrás desse profissional para a empresa”, diz Roberta.

É avaliado desde a competência técnica, até a competência comportamental, incluindo estilo de liderança e cultura de empresa. “É preciso entender qual o perfil do profissional: se ele trabalha mais mesa redonda ou se ele é mais hierárquico, se senta no dia seguinte para discutir resultados ou se toma decisões por conta própria, por exemplo”, diz a executiva.

Segundo Roberta, se a empresa é de agronegócio ou mineração, que é um setor mais tradicional, a cultura parte de sentar, repensar e trabalhar em conjunto, a consultoria procura um perfil de profissional. Se é empresa de tecnologia, as coisas são mais corridas, é necessário agilidade e tomada de decisões rápidas, então se busca um outro tipo de executivo.  “E para isso, avaliamos idade, casamento, histórico de vida até remuneração atividades, objetivos, metas e plano de carreira”, conta.

Mapeamento

Com o objetivo de agilizar o processo de contratação dos executivos para seus clientes, a Vertico desenvolveu um novo método que tem como pilares menor custo, rapidez e transparência.  “O processo consiste em quatro passos: necessidade do cliente, a busca, avaliação e entrega”, explica a executiva. A ideia é que em até duas semanas o processo seletivo se encerre.

PUBLICIDADE

Segundo Roberta, o processo consiste, no primeiro momento, no entendimento da organização e perfil da posição (que inclui remuneração e empresas alvo), seguido pela busca, momento em que a consultoria aciona todos os contatos para procurar o profissional desejado, considerando profissionais que foram para outro projeto, clientes, talentos conhecidos e redes sociais. Na hora da avaliação é feita uma entrevista para analisar o candidato e confirmar se ele realmente tem o perfil da empresa que precisa preencher a vaga. Se ele for aprovado pela Vertico, é encaminhado para a empresa. Lá, o RH interno pode fazer uma última entrevista para contratá-lo.  

A Vertico busca entregar o melhor candidato possível para seu cliente, dentro das especificações pedidas. Cabe a empresa cliente se vai ou não contratá-lo. A consultoria presta serviço para empresas como Amazon, Airbnb, OLX, Caixa Seguradora e outros.

 

Desde de 2013, foram feitas mais de 1.938 entrevistas e mais de 4.801 candidatos foram abordados pela Vertico.