2008: emprego novo é sonho de pessoas de baixa renda; veja dicas para conseguir um

Depois de analisada a necessidade, é hora de "colocar a mão na massa"; primeiro passo é a elaboração do currículo

SÃO PAULO – “Ano novo, vida nova”. Embalados pelo ditado, os brasileiros de baixa renda planejam trocar de emprego ou correr atrás de um aumento de salário em 2008. Este é o desejo da maioria (46%) das pessoas com menor poder aquisitivo entrevistadas em pesquisa da TNS InterScience.

De acordo com os dados, coletados em novembro deste ano junto a 300 pessoas residentes na cidade de São Paulo, das classes C e D, com mais de 20 anos e com renda familiar média de R$ 1.956, 40% dos entrevistados simplesmente “sonham” com uma mudança de emprego e um aumento no salário.

Dicas para arriscar

“Procurar um novo emprego exige coragem. Mudar e ‘dar a cara para bater’, encarar um novo desafio, não são para qualquer um”, explica a diretora da SEC Talentos Humanos, Stefi Maerker. Depois de analisada a necessidade, é hora de ir em busca de uma nova colocação e o primeiro passo é a elaboração do currículo.

PUBLICIDADE

Antes de disparar para todos os lados, procure analisar os anúncios com maior cautela. Verifique friamente se o seu perfil atende mesmo aos requisitos listados pela empresa. Currículos com erros de ortografia ou gramaticais depõem contra o candidato. Leia várias vezes antes do envio. Não minta nas informações: liste apenas as experiências e habilidades que realmente possui.

Quem procura um emprego deve estar consciente de que se trata mesmo de uma seleção. E, neste processo, deverá passar por provas e, finalmente, por uma entrevista. Você precisa mostrar dinamismo e convencer seu selecionador de que tem condições para assumir o cargo oferecido pela empresa.

Diante do processo de seleção, algumas dicas poderão ajudá-lo: mantenha a tranqüilidade; procure expor suas habilidades de forma clara; pesquise sobre a empresa, para que se mostre interessado e conhecedor dos negócios da companhia; mostre-se disposto e motivado a trabalhar.

Pesquisa

Segundo os dados*, enquanto o desejo da maioria é profissional, 44% das pessoas sonham em ter um carro ou mudar para uma casa melhor, 7% acalentam a possibilidade de ter mais tempo para o lazer e 14% pretendem transformar esse desejo em realidade. Investir na educação dos filhos ainda é apenas sonho para 7%, mas já aparece como meta para outros 7%. Já os mais otimistas (6%) vão além e sonham alto: querem ganhar na Mega-Sena.

* Os entrevistados puderam escolher mais de uma alternativa