Conteúdo editorial apoiado por

State Grid avalia venda de participação em operação no Brasil por US$ 1 bilhão

Segundo fontes, objetivo é vender uma participação de cerca de 25% na empresa de transmissão de energia

Bloomberg

Publicidade

A chinesa State Grid está tentando levantar cerca de US$ 1 bilhão com a venda de uma participação minoritária em sua unidade brasileira, disseram pessoas familiarizadas com o assunto, em uma medida que visa reduzir a dívida e impulsionar o crescimento.

A State Grid Brazil pretende vender uma participação de cerca de 25% e tem mantido conversações com vários fundos apoiados pela China, disseram as fontes, que pediram anonimato. A holding abordou potenciais investidores, incluindo a CNIC, o Fundo de Cooperação e Desenvolvimento China-Países de Língua Portuguesa, conhecido como CPDFund, e o Fundo CLAI.

A empresa brasileira de capital fechado opera mais de 16.000 quilômetros de linhas de transmissão de energia no país. Além de reduzir a dívida, planeja usar os recursos para aquisições.
As discussões estão em andamento e as empresas ainda podem decidir não prosseguir com um acordo, ponderam as fontes. Representantes da State Grid e de sua unidade no Brasil não responderam imediatamente aos pedidos de comentários. Porta-vozes da CNIC, CPDFund e Fundo CLAI também não responderam ou não foram encontrados.

Outras empresas estatais chinesas também procuraram trazer novo capital através de vendas de participações minoritárias nos seus ativos no exterior, permitindo-lhes desalavancagem enquanto angariavam dinheiro para expandir através de aquisições. Em 2021, um grupo de investidores, incluindo CNIC e GIC Pte, investiu no portfólio internacional da China Three Gorges, disseram na época pessoas familiarizadas com o assunto .

A State Grid começou a investir no Brasil em 2010, na sua primeira grande incursão fora da Ásia. A rede da State Grid Brazil transmite o equivalente a 10% de toda a rede de alta tensão do país, segundo seu site , e já investiu mais de 28 bilhões de reais (US$ 5,7 bilhões) desde 2010.

A CNIC, com um capital inicial de cerca de 11 mil milhões de dólares, investe em áreas como petróleo e gás, metais e mineração, infraestruturas energéticas e energia limpa, mostra o seu website .

O CPDFund foi fundado pelo Banco de Desenvolvimento da China e pelo Fundo de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Macau em 2013, para promover a cooperação entre a China e os países de língua portuguesa. Tem investido em áreas como agricultura, indústria transformadora e infraestruturas em países como Brasil, Moçambique, Angola e Macau. O Fundo CLAI, também apoiado pelo Banco de Desenvolvimento da China, visa investimentos na América Latina e na região das Caraíbas em setores que incluem energia limpa, infraestruturas e mineração.

© 2023 Bloomberg L.P.

IM Business

Newsletter

Quer ficar por dentro das principais notícias que movimentam o mundo dos negócios? Inscreva-se e receba os alertas do novo InfoMoney Business por e-mail.

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.