Conteúdo editorial apoiado por

Mantiqueira cresce e investe na nacionalização da sua marca

Líder em vendas de ovos comerciais no país, empresa vai faturar R$ 2 bilhões em 2023

Fernando Lopes

Publicidade

Embalada por crescimento orgânico e aquisições, a Mantiqueira Brasil, líder em vendas de ovos comerciais no país, deverá encerrar 2023 com faturamento de R$ 2 bilhões, ante R$ 1,5 bilhão em 2022. A empresa projeta para 2024 mais um ano de aumento do consumo da proteína no mercado doméstico, e com isso voltará a ampliar a oferta, ao mesmo tempo em que fará uma campanha de marketing para fortalecer a estratégia de nacionalizar sua marca.

Neste ano, a Mantiqueira investiu mais de R$ 300 milhões para expandir sua produção, incluindo as aquisições da Fazenda da Toca Orgânicos, situada em Itirapina (SP), e das operações de ovos da cooperativa paranaense Lar. A companhia também promoveu melhorias em unidades existentes e construiu mais três plantas de produção de rações – agora são oito.

Atualmente, a empresa conta com mais de 16 milhões de aves em granjas localizadas nos Estados de Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. A produção de ovos chega a 3 bilhões de unidades. Segundo Leandro Pinto, fundador da Mantiqueira, o crescimento orgânico previsto para 2024 virá com as galinhas criadas livre de gaiolas.

Márcio Utsch, CEO da Mantiqueira (esq.), e Leandro Pinto, controlador da empresa
Márcio Utsch, CEO da Mantiqueira (esq.), e Leandro Pinto, fundador da empresa

Hoje, lembrou o empresário, a companhia tem 2,5 milhões de aves nessa condição, número que deverá chegar a pelo menos 3,3 milhões no ano que vem. Além desse avanço, a Mantiqueira continua atenta à aquisições, que aceleraram seu crescimento no mercado nos últimos anos.

Apesar desse processo, a Mantiqueira desde o início definiu como estratégia trabalhar com sua própria marca e um número pequeno de marcas alternativas, como Happy Eggs (galinhas livres) e Fazenda da Toca (orgânicos), voltadas a mercados específicos e de alto valor agregado. 

Daí a nova campanha de marketing que deverá ir ao ar nas mídias tradicionais e sociais a partir do primeiro semestre de 2024. Os detalhes estão sendo definidos, mas o objetivo básico é dar fôlego à nacionalização, sobretudo da marca Mantiqueira. 

Se o cenário tende a permanecer positivo em 2024 para o consumo de ovos no Brasil e no mundo – o que tem ajudado a impulsionar as exportações da Mantiqueira, que representam entre 5% e 10% de seu faturamento  -, os custos, entretanto, voltaram a preocupar. 

Márcio Utsch, CEO da empresa, lembra que os preços dos grãos, que recuaram em 2023 e favoreceram as margens da empresa, deverão voltar a subir no ano que vem por causa dos problemas climáticos que afetam a atual safra de grãos (2023/24). Com as intempéries, a colheita brasileira de soja deverá ser menor que a inicialmente esperada, embora ainda recorde, mas a safrinha de milho deverá registrar recuo expressivo.

 O executivo também realçou que a Mantiqueira está avançando em um projeto para entrar no mercado de energia renováveis. Há conversas em curso com um parceiro para a produção de biometano a partir do esterco das aves, matéria-prima que também deverá incentivar o crescimento da companhia no mercado de fertilizantes.

Newsletter

IM Business Agro

Inscreva-se na newsletter e receba análises exclusivas sobre tudo que movimenta o universo do agronegócio, além de uma curadoria com o que de melhor aconteceu ao longo da semana

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.