Conteúdo editorial apoiado por

Juiz questiona SouthRock por não incluir o Subway na Recuperação Judicial

Magistrado também deu 5 dias para o grupo apresentar as informações solicitadas pelo perito; empresa alegou dívida de R$ 1,8 bilhão para pedir proteção

Lucas Sampaio

Publicidade

O juiz Leonardo Fernandes dos Santos, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, questionou nesta terça-feira (21) o fato de a SouthRock não ter incluído o Subway em seu pedido de Recuperação Judicial, após diversos questionamentos de detentores da sua dívida.

Responsável pelas marcas Starbucks, Subway, Eataly e TGI Fridays no Brasil, o grupo SouthRock pediu proteção contra credores em 31 de outubro, alegando R$ 1,8 bilhão. Mas deixou de fora o Subway, que é a maior operação da companhia no Brasil, e pediu na semana passada a exclusão do Eataly, centro gastronômico de luxo na zona sul de São Paulo, do processo.

“Devem as autoras esclarecer eventual dependência econômica mútua entre as sociedades autoras, bem como em relação à empresa que opera a marca Subway, ante os diversos questionamentos efetuados pelos credores. Fixo o prazo de 5 dias para tanto”, afirmou dos Santos em sua decisão.

O magistrado determinou também que a SouthRock responda aos questionamentos da Laspro Consultores Ltda., que em seu parecer prévio viu a necessidade de a empresa ser protegida contra credores, mas destacou a ausência de informações importantes para uma opinião definitiva. Também apontou diversos problemas na contabilidade da SouthRock.

Após a empresa prestar os esclarecimentos e enviar as informações solicitadas, a consultoria terá mais cinco dias para apresentar o seu parecer final — e só então o juiz tomará uma decisão em relação ao pedido de RJ. Dos Santos afirmou também que só vai analisar a inclusão de outras empresas do grupo no processo. como o Subway, após esse “laudo pericial final”.

(Esta reportagem está em atualização)

Lucas Sampaio

Jornalista com 12 anos de experiência nos principais grupos de comunicação do Brasil (TV Globo, Folha, Estadão e Grupo Abril), em diversas funções (editor, repórter, produtor e redator) e editorias (economia, internacional, tecnologia, política e cidades). Graduado pela UFSC com intercâmbio na Universidade Nova de Lisboa.