Conteúdo editorial apoiado por

Inter escolhe Alexandre Riccio para liderar operações no Brasil

João Vitor Menin continuará ocupando o cargo de CEO global para supervisionar as operações internacionais

Bloomberg

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

Publicidade

O Inter & Co. nomeou Alexandre Riccio como chefe do banco digital no Brasil, enquanto o atual CEO, João Vitor Menin, vai se concentrar na expansão global do grupo.

Riccio, que está no banco há mais de 10 anos e ocupava o cargo de vice-presidente sênior, assumirá formalmente as operações locais, de acordo com fato relevante. Menin continuará ocupando o cargo de CEO global para supervisionar as operações internacionais do Inter a partir de sua base em Miami.

“É difícil encontrar alguém com sua experiência, que combina as partes bancária e tecnológica do negócio”, disse Menin em uma entrevista ao lado de Riccio. “Com ele nessa posição, podemos impulsionar nossos planos de crescimento.”

Continua depois da publicidade

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas 

O Inter, que encerrou o primeiro trimestre com quase 32 milhões de clientes, tem buscado aumentar o reconhecimento de sua marca dentro e fora do Brasil. Ele pagou pelos naming rights de um estádio de futebol em Orlando e possui outdoors promovendo seu “super app” para serviços bancários e varejo em Miami. Embora esteja principalmente direcionado aos brasileiros que visitam ou vivem na Flórida, o banco também busca atrair outros consumidores latino-americanos e americanos.

O banco tem como meta alcançar 60 milhões de clientes até 2027, além de uma taxa de eficiência e retorno sobre o patrimônio líquido de 30% cada. No trimestre mais recente, registrou uma taxa de eficiência de 47,7% e um ROE de 9,7%.

Continua depois da publicidade

O aplicativo do Inter permite que os brasileiros tenham contas em dólares americanos, façam investimentos no exterior e comprem desde produtos de varejo até planos de seguro.

Riccio, de 43 anos, é engenheiro de formação e passou um tempo no Boston Consulting Group e na siderúrgica Gerdau no início de sua carreira. Menin comanda a empresa nos últimos 20 anos, embora tenha feito a transição para transformá-la em um banco digital há cerca de uma década. Sua família é a principal acionista, com uma participação de quase 27%. O SoftBank possui 15% das ações.

As ações do Inter listadas na Nasdaq subiram cerca de 90% no último ano, para US$ 6,25 cada, com uma capitalização de mercado de US$ 2,7 bilhões.

Continua depois da publicidade

“Estou aqui para supervisionar um esforço ainda mais intenso para entregar resultados”, disse Riccio. “E darei mais liberdade a João para continuar focando na inovação.”