Conteúdo editorial apoiado por

Botafogo e Corinthians têm maiores dívidas entre clubes brasileiros, diz consultoria

Faturamento total dos clubes brasileiros aumentou em 32% em um ano, enquanto as dívidas diminuíram em 23%

Monique Lima

(Shutterstock)
(Shutterstock)

Publicidade

Depois de acumularem o pior nível de endividamento líquido dos últimos dez anos em 2022, de R$ 10,44 bilhões, o nível de dívida dos clubes brasileiros de futebol caiu para R$ 9,53 bilhões no ano passado, segundo levantamento feito pela consultoria Ernst & Young.  

O montante considera a dívida dos 31 principais times do país, entre os clubes que estiveram na série A e B do Campeonato Brasileiro de 2023.  

Adquira o Cartão XP! Ele transforma suas compras em investimentos e oferece acesso a salas VIP em aeroportos

Continua depois da publicidade

Segundo a consultoria, o destaque no recuo da dívida líquida ficou para o Fortaleza, que conseguiu reduzir seus débitos em 80% e encerrou 2023, com R$ 6,6 milhões no vermelho, o menos endividado entre todos os times. Outros clubes que apresentaram redução nos valores foram o Flamengo (75%) e o Atlético-MG (48%).   

44% do total de endividamento líquido de 2023 se concentrou em cinco clubes: Botafogo (R$ 1,03 bilhão), Corinthians (R$ 886 milhões), Atlético-MG (R$ 824 milhões), Vasco (R$ 749 milhões) e São Paulo (R$ 667 milhões).  

O estudo da EY foi elaborado a partir de análises de demonstrações financeiras disponibilizadas pelos clubes em portais eletrônicos próprios ou de federações estaduais. Os dados contemplam um período de 10 anos e apontam que o endividamento líquido dos times brasileiros somava R$ 6,55 bilhões uma década atrás. 

Continua depois da publicidade

Raio-x das dívidas 

Em 2023, o Corinthians apresentou o maior endividamento tributário entre os clubes do levantamento: R$ 602 milhões. Já o Botafogo tem uma grande pendência com empréstimos, que chega em R$ 429 milhões. 

Embora esses clubes estejam no topo do ranking das dívidas, eles não apresentam uma relação endividamento líquido x receita total de múltiplos altos. Ou seja, o volume de arrecadação financeira dos clubes é maior do que o endividamento total. 

O Corinthians, por exemplo, apresentou um múltiplo de 0,95 vezes no ano passado, pouco menor do que o 0,98 vezes do São Paulo e muito acima do 0,58 vezes do Palmeiras.  

Continua depois da publicidade

Os maiores endividados em relação aos seus faturamentos são: Coritiba (2,06 vezes), Vasco (2,06 vezes), Atlético-MG (1,88 vezes), Botafogo (1,81 vezes) e Bahia (1,76 vezes).  

Receitas  

As receitas totais dos clubes analisados pela E&Y apresentaram evolução de 123% em dez anos, considerando a inflação do período. O total chegou a R$ 11,1 bilhões em 2023 – uma alta de 32% em relação a 2022. A principal fonte de faturamento dos clubes é com os direitos de transmissão dos jogos, que representam 45% da receita total.  

O Flamengo ficou na liderança de receitas pelo 3º ano consecutivo e apresentou um faturamento recorde em 2023, ao chegar em R$ 1,37 bilhão. Corinthians e Palmeiras aparecem na sequência, com ganhos de R$ 937 milhões e R$ 927 milhões, nessa ordem.  

Continua depois da publicidade

O Fluminense, campeão do Campeonato Carioca e da Copa Libertadores em 2023, teve um aumento de 100% no seu faturamento entre 2022 e 2023, somando R$ 694 milhões.  

Veja os números de destaque dos clubes brasileiros:  

Clube  Receita total (R$- milhões) Dívida líquida (R$- milhões) Dívida líquida x Receita total 
Flamengo  1.374  63 0,05 
Corinthians  937 886 0,95 
Palmeiras  927 537 0,58 
Athletico* 721 – – 
Fluminense  694 597 0,86 
São Paulo  681 667 0,98 
Internacional 635 519 0,82 
Botafogo 569 1.032 1,81 
Red Bull Bragantino 488 408 0,84 
Grêmio 480 526 1,10 
Atlético-MG 439 824 1,88 
Santos 424 606 1,43 
Fortaleza 382 6,6 0,02 
Vasco 364 749 2,06 
Bahia 240 422 1,76 
*Athletico apresentou endividamento líquido zerado em 2023
Fonte: Relatório Levantamento Financeiro dos Clubes Brasileiros 2023, da Ernst & Young. Divulgado em maio de 2024.