Conteúdo editorial apoiado por

Arco Norte perde espaço no escoamento de soja e milho em 2023

Portos da região mantiveram a liderança nas exportações, porém, participação no total embarcado foi menor

Alexandre Inacio

Publicidade

Os portos do chamado Arco Norte – Barcarena (PA), Itaqui (MA), Itacoatiara (AM) e Santarém (PA) – do Brasil perderam espaço nas exportações de soja e milho em 2023. No ano passado, 33,8% das exportações de soja e 41,6% dos embarques de milho saíram do país por um dos portos.

Ainda que a saída pelo norte tenha mantido a liderança nas exportações de grãos no ano passado, em 2022, 37,6% dos embarques de soja e 44,7% das exportações de milho deixaram o Brasil pelos portos mais ao norte do país.

Um dos motivos para a queda da participação do Arco Norte no total das exportações de grãos foi a queda nos níveis dos rios da bacia do Amazonas. A falta de chuvas levou os rios Negro e Solimões aos níveis mais baixos da história.

Diante do quadro, muitos exportadores tiveram que reorganizar seus planos. Parte da produção de milho e soja de Mato Grosso que estava programada para sair pelo Arco Norte precisou ser deslocada para os portos do Sul.

A perda na participação total, no entanto, não significou queda nos volumes. Em 2023, passaram pelos portos do Arco Norte 34,4 milhões de toneladas de soja e 23,6 milhões de toneladas de milho. Respectivamente, os volumes representam um crescimento de 16,2% e 20,6%.

Se os portos do Norte perderam participação no total da exportação de soja no ano passado, os portos do Sul aumentaram sua representatividade. Paranaguá, Rio Grande e São Francisco do Sul, que detiveram, respectivamente, 13%, 7,3% e 4% dos embarques de soja em 2022, no ano passado, passaram a ter 14,1%, 10,3% e 4,9%.

No caso do milho, o porto de São Francisco do Sul (SC) superou Paranaguá e passou a ser o terceiro mais importante nas exportações. Os embarques de milho pelo porto catarinense, em 2023, somaram 4,56 milhões de toneladas, quase três vezes mais que o volume de 2022. Por Paranaguá, passaram 4,24 milhões de toneladas de milho.

Newsletter

IM Business Agro

Inscreva-se na newsletter e receba análises exclusivas sobre tudo que movimenta o universo do agronegócio, além de uma curadoria com o que de melhor aconteceu ao longo da semana

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.