Conteúdo editorial apoiado por

Apple anuncia ferramentas de IA, incluindo acordo com o ChatGPT

Os recursos estarão disponíveis para os usuários por meio de um teste beta no final deste ano, com alguns recursos chegando em 2025

Bloomberg

Publicidade

A Apple (AAPL) anunciou seus aguardados novos recursos de inteligência artificial, incluindo ferramentas suportadas pelo ChatGPT, da OpenAI, prometendo entregar tecnologia personalizada, segura e profundamente integrada ao software da fabricante do iPhone.

A plataforma, chamada “Apple Intelligence“, ajudará a resumir textos, criar imagens originais e recuperar os dados mais relevantes quando os usuários precisarem, disse o vice-presidente sênior Craig Federighi, na Conferência Mundial de Desenvolvedores anual da empresa. A gigante da tecnologia também revelou novas versões de sistemas operacionais para iPhone, iPad e Mac.

“Este é um momento para o qual estamos trabalhando há muito tempo”, disse Federighi, no evento.

Continua depois da publicidade

Telas do iOS 18 (Divulgação/Apple)

A parceria com a OpenAI permitirá que os clientes da Apple acessem o ChatGPT por meio da assistente digital Siri, sem custo extra. Os recursos estarão disponíveis para os usuários por meio de um teste beta no final deste ano, com alguns recursos chegando em 2025, disse Federighi, descrevendo-o como “IA para o resto de nós”.

O CEO da OpenAI, Sam Altman, esteve no evento nesta segunda-feira (10) e escreveu na rede social X que estava “muito feliz” por estar se unindo à Apple.

Garantir que os dados dos clientes estejam seguros foi um dos principais temas da apresentação. Um sistema chamado Private Cloud Compute ajudará a manter as informações dos usuários seguras quando estiverem sendo enviadas para data centers, disse Federighi.

Continua depois da publicidade

A Apple usou a conferência para mostrar versões atualizadas de todos os seus sistemas operacionais, mas os detalhes de IA eram o que os investidores e usuários estavam mais ansiosos para ouvir. A empresa está tentando recuperar o atraso na indústria de IA generativa, onde pares de tecnologia, como Google, da Alphabet (GOOGL) e Microsoft (MSFT), fizeram grandes avanços.

A apresentação começou às 10h (horário local), na sede da Apple em Cupertino, Califórnia, e durou menos de duas horas. O evento incluiu uma olhada no novo iOS 18, que roda no iPhone da Apple. Esse software permitirá que os usuários personalizem e protejam seus aplicativos, incluindo um recurso que permite que as pessoas bloqueiem aplicativos individuais.

E-mails e textos também estão recebendo novos recursos, como mais efeitos e a capacidade de usar conexões via satélite para enviar mensagens. Os usuários também poderão classificar e-mails por categorias.

Continua depois da publicidade

Telas do iOS 18 (Divulgação/Apple)

Os investidores deram uma reação morna ao evento – algo comum quando a Apple estreia novos recursos há muito esperados. As ações caíam quase 2%, a US$ 193,26, às 14h52 em Nova York. No ano, a alta era de 2,3% até o fim da semana passada.

No início do evento, a empresa revelou o visionOS 2, a versão mais recente de seu software para o fone de ouvido Vision Pro. O sistema operacional permite que os usuários transformem fotos regulares em imagens 3D e atualize a interface com novos gestos.

A Apple também anunciou planos para lançar o Vision Pro internacionalmente, com pré-encomendas começando na China, Hong Kong, Japão e Cingapura, em 13 de junho. O dispositivo estará à venda em 28 de junho. Austrália, Canadá, França, Alemanha e Reino Unido terão pré-encomendas a partir de 28 de junho e as vendas começarão em 12 de julho.

Continua depois da publicidade

O novo software AirPods, por sua vez, tornará mais fácil ouvir as vozes dos usuários durante uma chamada telefônica, removendo o ruído de fundo. O Apple Watch receberá recursos adicionais de saúde, como rastreamento de gravidez aprimorado e um aplicativo que mostra estatísticas vitais rapidamente. E um mostrador de relógio redesenhado usará aprendizado de máquina para apresentar as fotos dos usuários no dispositivo.

Atendendo a um pedido antigo dos clientes, a Apple está finalmente trazendo seu aplicativo de calculadora para o iPad – uma medida que atraiu aplausos da multidão. O software aproveitará o Apple Pencil e permitirá que os usuários resolvam equações escrevendo-as à mão.

O novo software para Mac chama-se Sequoia e facilitará o espelhamento do iPhone nos computadores dos utilizadores.

A Apple teve uma liderança inicial em IA depois que lançou a assistente de voz Siri em 2011, mas a tecnologia foi rapidamente ultrapassada pela Alexa da Amazon. Então, a IA deu outro salto gigante quando o ChatGPT da OpenAI chegou no final de 2022.

Isso levou a uma enxurrada de outros serviços, incluindo os do Google, Microsoft, Meta e Samsung — maior rival de smartphones da Apple — a integrarem recursos de IA em seus dispositivos no início deste ano.

O CEO da Apple, Tim Cook, está agora sob pressão para mostrar que a fabricante do iPhone pode liderar novamente. A empresa também enfrenta uma queda mais ampla nas vendas. A receita caiu em cinco dos últimos seis trimestres diante da lenta demanda por smartphones e uma desaceleração na China.

© 2024 Bloomberg L.P.