Conteúdo editorial apoiado por

Algodão atinge mínima de mais de 3 anos com dólar forte e clima favorável

O algodão está sendo pressionado por uma série de fatores, como o dólar mais forte, o bom tempo e o prazo de cinco dias para o primeiro dia de notificação

Reuters

Plantação de algodão. (foto: Karl Wiggers/ Unsplash)
Plantação de algodão. (foto: Karl Wiggers/ Unsplash)

Publicidade

Os contratos futuros de algodão da Bolsa americana ICE chegaram a cair quase 3%, para uma mínima de mais de 3 anos nesta segunda-feira (17), pressionados por um dólar mais forte e expectativas de clima favorável, aumentando a oferta na principal região de cultivo dos Estados Unidos.

Ao final, os contratos futuros para dezembro do algodão, negociados em Nova York, fecharam em queda de 0,5%, a 71,77 centavos de dólar por libra-peso, depois de atingirem seu valor mais baixo desde novembro de 2020, a 70 centavos, no início da sessão.

Diversifique investindo no Brasil e no exterior usando o mesmo App com o Investimento Global XP 

Continua depois da publicidade

O dólar subiu pela terceira sessão consecutiva, ficando próximo da máxima de mais de um mês atingida na última sessão, tornando o algodão mais caro para os compradores de produtos dos EUA.

O algodão está sendo pressionado por uma série de fatores, como o dólar mais forte, o bom tempo e o fato de faltarem apenas cinco dias para o primeiro dia de notificação, disse Rogers Varner, presidente da Varner Brokerage em Cleveland.

“O algodão tem um histórico de queda à medida que o dia do aviso se aproxima, portanto, meu palpite é que não veremos nenhuma recuperação no mercado até que o dia do aviso seja cumprido.”