EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em bloomberg / mercados

China Development Bank deve apoiar plano recuperação judicial da Oi, dizem fontes

O banco pode assinar o acordo com a Oi ainda nesta terça-feira, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas por estarem discutindo negociações privadas

Oi - Bloomberg
(Paulo Fridman/Bloomberg)

(Bloomberg) -- O China Development Bank pretende assinar um documento que formaliza sua aceitação ao plano de reestruturação da Oi (OIBR4), disseram duas pessoas próximas às discussões.

O banco pode assinar o acordo com a Oi ainda nesta terça-feira, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas por estarem discutindo negociações privadas. O banco chinês tem discutido na Justiça como reestruturar US$ 1,2 bilhão em um financiamento concedido à Oi apenas seis meses antes de a operadora entrar com o maior pedido de recuperação judicial da história da América Latina.

O sinal verde do banco é uma boa notícia para a Oi, cuja proposta para sair da recuperação judicial recorde de US$ 19 bilhões foi recebida com duras críticas por credores internacionais na semana passada. As agências de crédito à exportação finlandesa e belga estavam entre os credores que expressaram preocupação com o plano, segundo uma carta obtida pela Bloomberg.

A Oi preferiu não comentar. O China Development Bank não respondeu imediatamente a um pedido de comentário enviado nesta terça-feira mais cedo em Pequim.

Outros credores continuam vociferando contra a última proposta da empresa, que dá aos credores a opção de comprar pelo menos R$ 3,5 bilhões em novas ações. Em carta à administração com data de 15 de outubro, os dois principais grupos de credores da Oi pediram para iniciar as negociações o mais rapidamente possível e reiteraram que não aprovarão o plano em sua forma atual. A Oi informou que planeja se reunir com representantes dos grupos nesta semana.

A empresa pode ir à falência ou sofrer uma intervenção do governo brasileiro se não conseguir a aprovação da maioria dos credores ao plano. A assembleia geral de credores da empresa está marcada para o dia 23 de outubro em primeira chamada e 27 de novembro em segunda chamada.

A Oi tem um acordo de confidencialidade com a estatal China Telecom para discutir possíveis negócios. A operadora de telefonia chinesa estaria se unindo à firma de private equity TPG em uma proposta para adquirir a Oi, publicou a Bloomberg no mês passado. Não está claro se o acordo com o banco de desenvolvimento tem alguma conexão com as negociações com a China Telecom.

--Com a colaboração de Aibing Guo

Versão em português: Patricia Xavier em Sao Paulo, pbernardino1@bloomberg.net.

Repórter da matéria original: Fabiola Moura em São Paulo, fdemoura@bloomberg.net.

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Crayton Harrison, tharrison5@bloomberg.net, Marcus Wright

©2017 Bloomberg L.P.

Contato