O que é um trader?

O mercado cita termos que nem sempre são conhecidos pelo investidor.
Blog por Caio Sasaki  

Vira e mexe me deparo com esta pergunta. A resposta é simples: o trader, no contexto de investimentos financeiros, é um especulador. Mas a resposta pode variar desde investidor arrojado à traficante de drogas. E eu não estou brincando!

Considerando o ambiente de investimentos, popularmente, o trader é aquele investidor que costuma operar o capital próprio, tomando suas próprias decisões, assumindo riscos e se beneficiando dos próprios ganhos. Ninguém mete o bedelho em suas decisões e, quando bem sucedido, muitas vezes paga suas contas única e exclusivamente com renda obtida nesta atividade. Contudo, é um equívoco pensar que para ser um trader é necessário exercer esta atividade como fonte de renda única ou principal. Nada impede que um médico, advogado ou mecânico que se arrisque em operações no mercado financeiro não possa ser denominado trader. Afinal, se ele opera o capital próprio, toma suas próprias decisões (mesmo que seja a decisão de seguir um analista ou palpiteiro de mercado), assume riscos e se beneficia dos próprios ganhos, ele se enquadra perfeitamente na descrição acima, independentemente de adotar esta atividade como fonte secundária de renda. Afirmar que um indivíduo não é traderporque ele também atua como professor para bancar suas contas, é como dizer que o dono da padaria não pode ser padeiro porque ele também possui uma pizzaria.

Outro equívoco é sustentar a imagem de que o trader tem a obrigação de ganhar muito dinheiro com a suas operações para sustentar este título (tsc, como se tal denominação valesse alguma coisa!). Neste caso, seria como exigir que o dono da padaria produzisse um mínimo de 3.000 pães por dia para se denominar padeiro.

Além disso, já encontrei operadores de mesa e pregão se denominando como traders ao executarem ordens a mando de clientes. E neste caso, apesar de movimentarem o patrimônio de terceiros, eles também tomam suas próprias decisões (ainda que não sejam decisões estratégicas), assumem riscos (de erro operacional, por exemplo) e se beneficiam direta ou indiretamente das operações vencedoras, mesmo que este benefício não venha da performance financeira. Portanto, quem sou eu para negar que estes profissionais são traders?

Considerando o contexto do comércio exterior, o termo trader tem um significado totalmente diferente daquele adotado no mundo das finanças. Por isso, nos Estados Unidos, é comum utilizarem o termo Stock Trader para definir um investidor de ações. Aliás, a tradução de trader, do inglês para o português, resulta em algo como negociador ou comerciante, por isso, ignorando qualquer especificidade técnica, este termo poderia ser atribuído tanto para investidores financeiros, imobiliários, rurais ou até mesmo o indivíduo que atravessa fronteiras portando contrabandos variados com o fim de comercializá-los no mercado negro. Então, para dispensar todo este blá-blá-blá, eu gosto de adotar o sinônimo especulador. E sobre este termo ser pejorativo, eis uma filosofia prolixa para outro artigo.

Por hoje fico por aqui. Bons negócios e até semana que vem!

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

É trader, formado em Física pela USP e chegou a fazer mais de 300 operações por dia na Nasdaq e na Bolsa de Nova York. Foi estrategista em instituições como Citibank, Interfloat e XP Investimentos e hoje dedica parte de seu tempo para formar traders independentes. contato@sasakitraders.com.br