Melhor ação do Ibovespa em 2017, Usiminas deve reverter prejuízo em lucro de R$ 36 milhões no 3° tri

A siderúrgica, que acumula ganhos de 138% na bolsa este ano, divulga seu resultado na próxima sexta-feira, antes da abertura do pregão
Blog por Paula Barra  

SÃO PAULO - Uma das estrelas da bolsa em 2017, com ganhos de 138% no ano (a maior alta do Ibovespa no período), a Usiminas (USIM5) deve continuar como destaque positivo entre as siderúrgicas na temporada de balanços do 3° trimestre. A companhia - que está na Carteira InfoMoney desde setembro - divulga seus números na próxima sexta-feira (27), antes da abertura do pregão. 

Os motivos para o otimismo do mercado podem ser traduzidos em 3 fatores: 1) o pior parece já ter passado para aços planos - segmento de atuação da empresa -, com sinais de aumento nos volumes e preços para os próximos trimestres; 2) evolução na geração de caixa e redução da alavancagem, que pode reduzir a percepção de risco e ajudar a impulsionar os papéis em bolsa; 3) visão de que o valuation está atrativo e que fez com que, recentemente, o Bradesco BBI reforçasse sua preferência pela ação da companhia, em contrapartida à Gerdau, assim como fez também o Bank of America Merrill Lynch (veja aqui as análises).

Receba os "Insights do Dia" direto no seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se.

Para o 3° trimestre, as surpresas positivas devem aparecer na primeira linha do balanço balanço, guiada por vendas domésticas mais fortes e preços mais altos. E mesmo que os custos maiores podem provocar uma ligeira queda no Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) quando comparado ao mesmo trimestre do ano anterior, o Itaú BBA classifica esses resultados como "sequencialmente menores, mas ainda sólidos". 

Segundo as estimativas compiladas pela Bloomberg, a receita líquida da Usiminas deve atingir R$ 2,68 bilhões no período, crescimento de 18,6% em relação ao mesmo trimestre de 2016, enquanto o Ebtida ajustado pode alcançar R$ 460 milhões, quase 50% maior utilizando a mesma base de comparação; mas 3,6% menor quando comparado ao 2° trimestre de 2016. Já na última linha do balanço, a empresa deve entregar um lucro líquido ajustado de R$ 36 milhões, revertendo prejuízo líquido de R$ 107 milhões um ano antes. 

Analistas do Bradesco BBI comentam que os principais fatores para esses números devem ser: aumento de 6,5% em remeças de aço no mercado doméstico em uma base anual, com uma leve queda de exportações tanto em base trimestral como em base anual; aumento de 1,5% nos preços domésticos no 3° trimestre, com o recente início dessa elevação já se transformando em resultados; e maiores custos/tonelada, impulsionados por maior custo do carvão. No geral, comentam: "a Usiminas deve continuar sendo o destaque positivo do setor, entregando números sólidos, tanto na linha de receitas, como na frente de custos". 

Veja abaixo as estimativas do mercado para o resultado da Usiminas no 3° trimestre :

Medidas (em R$ milhões) 3T17E* 2T17 3T16 3T17E/2T17 3T17E/3T16
Receita Líquida 2.686  2.569 2.265 4,5% 18,6%
Ebitda 460 478 307 -3,6% 49,8%
Margem Ebitda 17,1% 18,6% 13,5% -1,5 p.p. 3,6 p.p.
Lucro líquido ajustado 36 176 (107) 233% -
*Estimativas compiladas pela Bloomberg

 Gostou desta análise? Clique aqui e receba-as direto em seu e-mail!

Deixe seu comentário

Perfil do autor

É editor de Mercados do InfoMoney e analista CNPI-P (analista técnico e fundamentalista, certificado pela Apimec). Trabalha há 6 anos no InfoMoney. Graduou-se em Administração de Empresas pelo Mackenzie, já acompanhou mais de 200 horas de cursos sobre mercados de ações. Possui MBA em Mercado de Capitais pela Fipecafi e MBA de Mercados Financeiros para Jornalistas pela UBS/BM&FBovespa. thiago.salomao@infomoney.com.br