Blog InfoMoney

Seguros e mercado

Em blogs / financas-pessoais / seguros-e-mercado

As malas não foram? O seguro cobre...

O que é preciso saber sobre o seguro viagem, para você que vai aproveitar esse finalzinho de férias!

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

Para o pessoal  que está pronto, e de passagens compradas, para desbravar outros lugares fora do Brasil, nesse finalzinho do período de férias, é preciso estar preparado para enfrentar todos os desafios da viagem, até mesmo os que não são muito agradáveis.

 

O seguro de viagem funciona como uma proteção para várias situações durante a viagem, além de figurar como um plano de saúde temporário. Ele será válido pelos dias da contratação e dentro das normas especificadas em cada contrato.

 

A primeira dica é diferenciarmos o seguro viagem da assistência viagem, apesar dos dois serviços serem chamados comumente de seguro viagem. Na prática, a principal diferença está em quem pagará pelo serviço no momento que for utilizado. é uma questão de quem desembolsará o dinheiro. No seguro viagem, o viajante paga todas as despesas médicas e depois solicita o reembolso à seguradora (dentro dos limites de valores estabelecidos no contrato). Para isso, será necessário apresentar comprovantes de despesas médicas, laudos, notas fiscais e tudo que possa confirma o atendimento. Já na assistência viagem, o atendimento será todo arcado pela seguradora contratada (dentro dos limites previstos no contrato). Para isso o segurado deve entrar em contato com a empresa contratada antes de receber o atendimento. A seguradora então indicará um local em que o atendimento será realizado e o segurado não precisará desembolsar nada, todo o pagamento será arcado pela seguradora.

 

Acidentes e doenças podem acometer qualquer viajante, independente da experiência. E se o problema for grave, o custo para reparação pode ser bem caro. Será necessário pagar por consultas médicas, remédio e, em casos mais graves, transporte de ambulância e internação. O seguro vale também para outros tipos de serviços, como extravio de bagagem, remarcação de passagem, assistência jurídica dentre outros.

 

As regras dos seguros variam dependendo do destino. Alguns países, como os que fazem parte da União Europeia, exigem seguros de viagem especial (seguro que segue as regras do Tratado de Schengen). Fique atento!

 

Outro caso que pode alterar a contratação do seguro são os esportes radicais ou de aventura. Dificilmente a cobertura do seguro será válida para acidentes com esportes como esqui, escalada, mergulho e outros. Se for necessário é válido informar-se detalhadamente sobre essas atividades com  a seguradora.

 

O viajante deve contratar o seguro com, no mínimo, o mesmo tempo de duração da viagem. Como atrasos de companhias aéreas e imprevistos podem acontecer, é bom que  a vigência fim do seguro seja de dois dias após a data programada para o retorno. A contratação pode ser feita até mesmo de véspera. A viagem só não pode ter iniciado!

 

Como última dica, é importante ressaltar que vários cartões de crédito, especialmente os que têm classificação platinum ou superior, oferecem o seguro de viagem gratuitamente para os clientes.  

 

E para resumir, listamos as principais coberturas dos seguros de viagem:

  • ·          Atendimento médico e odontológico 24h;
  • ·         Seguro no caso de interrupção ou cancelamento da viagem, em caso de emergência médica;
  • ·         Visita ao segurado hospitalizado;
  • ·         Acompanhante em caso de hospitalização prolongada;
  • ·         Despesas farmacêuticas;
  • ·         Hospedagem após alta hospitalar;
  • ·         Remarcação de passagem para regresso;
  • ·         Repatriação médica e funerária, que garante o retorno do viajante ao Brasil tanto em caso de doença e acidente quanto em caso de falecimento;
  • ·         Assistência funeral;
  • ·         Indenização no caso de morte;
  • ·         Indenização no caso de invalidez permanente ou total;
  • ·         Localização de bagagem extraviada;
  • ·         Indenização no caso de extravio de bagagem;
  • ·         Despesas jurídicas;
  • ·         Pagamento antecipado de fiança.

 

Boa Viagem e até a próxima!

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

 

perfil do autor

InfoMoney Blogs

Rafael Monsores

Chief Sales Officer e Co-founder na Mobdiq e professor da Funenseg

Quer dicas exclusivas?

Preencha os campos abaixo e receba dicas e conteúdos exclusivos do blog Seguros e mercado

Contato