Blog InfoMoney

Segunda opinião

Em blogs / economia-e-politica / segunda-opiniao

Até onde vai o Ibovespa e o dólar nos próximos meses? Veja o resultado da pesquisa

Pesquisa feita com investidores institucionais na semana passada mostra que, em caso de impeachment, a maioria deles esperar ver o dólar abaixo de R$ 3,60 e acima de 55 mil pontos

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

Celson Placido XP Investimentos
(XP Investimentos)

Vivemos um cenário binário. Estamos no meio do caminho. Algo precisará ocorrer, temos uma economia paralisada, com projeção de mais um ano recessivo (temos uma previsão de queda 4,3% para o PIB em 2016), uma inflação elevada, taxa de desemprego subindo e a arrecadação em queda. Em suma, um cenário econômico extremamente desafiador. Mas quero falar sobre Ibovespa e dólar.

Como citei o evento binário, os investidores hoje estão totalmente voltados para o imponderável da política e nesse “imponderável”, temos a probabilidade da presidente Dilma não terminar o seu mandato.

 E o que isso representa nos seus investimentos?

Primeiro temos que mencionar que os mercados vivem de expectativas e perspectivas. Nesse sentido, no ano passado o índice Bovespa atingiu 58 mil pontos em maio de 2015, muito por conta das expectativas positivas com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. O mercado “jogou todas as fichas” no então ministro da Fazenda, porém, com o passar do tempo, vimos que Joaquim Levy não conseguiu colocar em prática suas ideias, ficou apenas na teoria, infelizmente. Assim, o país perdeu o grau de investimentos e o principal índice da Bolsa brasileira atingiu 37.500 pontos, no dia 26/01/2016. Tudo isso para exemplificar que o mercado financeiro antecipa e vive bastante de expectativas.

Dito isso, volto a falar sobre o cenário binário que mencionei no início. O índice Bovespa por fundamentos não está barato, negociando a 13x P/E (valor de mercado/lucro projetado), enquanto que a média de apenas 3 anos é de 11x. Ou seja, o mercado segue “pagando” um prêmio, na expectativa de que algo ocorrerá no curto/médio prazo. E o que quer dizer isso?

Simples, ou teremos um fim do mandato da presidente Dilma antecipado. Nesse caso poderemos ver o Ibovespa superando os 55 mil pontos, atingindo até 60 mil pontos. E um dólar para baixo, atingindo um patamar de R$ 3,50 ou até mesmo menor. Ou a permanência do atual governo até o final de 2018, ai um Ibovespa retornando para um patamar de 40 mil pontos e um dólar para R$ 4,00.

Por que temos esses números e de onde eles surgiram?

Realizamos pesquisas recorrentes com os Investidores Institucionais brasileiros, e na última pesquisa realizada entre os dias 14/03 e 15/03, tivemos os seguintes resultados:

Primeiro questionamento: A) Qual a probabilidade da presidente não terminar o mandato?

Verificamos que para a maioria dos participantes, a probabilidade é alta, 70% dos respondentes acreditam que essa probabilidade é superior a 60%. Sendo que 23% apontaram que a chance é superior a 80%.

 

A próxima pergunta foi B) Se ocorresse, quando acontecerá?

A resposta majoritária foi Segundo Semestre de 2016, onde 58% dos respondentes acreditam que ocorreria a interrupção. Em seguida, o Primeiro Semestre de 2016 é apontado por 35% dos investidores. Vemos que os acontecimentos recentes, como o avanço da Operação da Lava Jato, e os protestos de 13 de março, fizeram com que investidores antecipassem sua percepção de uma possível interrupção do mandato da presidente Dilma.

Terceira Pergunta: C) Ibovespa—Para onde iria o nível do Ibovespa?

A visão majoritária dos investidores ficou entre 55 mil e 60 mil pontos, 50% dos investidores. Para 30% dos investidores, o Ibovespa iria para o patamar entre 50 mil e 55 mil pontos. Para 17% o Ibovespa ficaria acima de 60 mil pontos, e para 3%, o Ibovespa seguiria para um patamar entre 45 mil pontos e 50 mil pontos.

Última pergunta: D) Dólar—Para você qual o nível do dólar?

Na visão de 49% dos investidores o dólar estaria entre R$3,40 e R$3,60. Para 33% o cenário mais provável seria entre R$3,20 e R$3,40. Completaram a pesquisa 8% acreditando num dólar entre R$3,60 e R$3,80, também 8% acreditando no dólar indo para um patamar entre R$3,00 e R$3,20, por fim para 2% dos investidores o dólar estaria entre R$3,80 e R$4,00.

Como mencionei no início, estamos vivendo um cenário binário que algo precisará ocorrer. E nesse sentido a melhor saída é se posicionar através de operações de produtos estruturados, onde o investidor, através dessas operações, consegue capturar uma alta do Ibovespa, se vier a ocorrer, e também se protege de uma queda, caso o cenário, hoje de menor probabilidade ocorra.

 Assim, é de suma importância o conhecimento de produtos que cada vez mais os investidores utilizam. Quando cheguei na XP em 2009, praticamente, só investidores institucionais que “aproveitavam” desses produtos específicos, porém hoje, já temos um número elevado de investidores do varejo que se utilizam dessas ferramentas, extremamente úteis, para ter o seu investimento, tanto em Bolsa quanto dólar e até juros. Aproveitem, pois o cenário ainda é de incertezas e volatilidade

Especiais InfoMoney:

As novidades na Carteira InfoMoney para março

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

 

Tudo sobre:  Dólar   Ibovespa  

perfil do autor

InfoMoney Blogs

Celson Placido

Quer dicas exclusivas?

Preencha os campos abaixo e receba dicas e conteúdos exclusivos do blog Segunda opinião

Contato