Blog InfoMoney

O mundo sobre muitas rodas

Em blogs / carros / o-mundo-sobre-muitas-rodas

E o crédito salvou o setor automotivo!

Parece que o pessoal do sistema financeiro, voltou contudo para o setor automotivo. O cenário - na parte da oferta de crédito - é promissor! Logo a retomada do crescimento na indústria automobilística é certa!

financiamento de automóveis
(reprodução)

Caro leitor, digníssima leitora; o ano de 2018 já está no passado; o mês de janeiro está quase acabando; e só agora conseguimos “pegar” algumas informações sobre como foi o crédito de veículos.

Para vocês terem uma ideia, o Banco Central ainda não divulgou o resultado do ano de 2018. Mas já sabemos que 2018 foi o ano em que mais se financiou (em R$) veículos.

Mas, o que já temos? O pessoal da B3 divulgando algumas informações sobre a quantidade de carros que foram alienados. Não vamos entrar na “bufunfa”; mas vamos verificar o quanto de veículos (aqui vamos falar de carros) foram financiados.

E, como diz o título: foram os bancos que salvaram o setor ano passado!

Ou então entramos no dilema de Tostines:

“Vendemos mais carros porque tivemos mais financiamentos?" ou "Tivemos mais financiamentos porque vendemos mais carros?”

Você decide!

Mas a correlação de crescimento nas vendas de carros com financiamentos é impressionante: um cresce basicamente o mesmo percentual que o outro e, quando há retração, o processo é o mesmo.

Outro ponto que os dados da B3 nos apontam é que ainda existe um longo caminho (possivelmente promissor) para o setor automotivo. O total de carros novos financiados é de apenas 52%. De cada 2 carros vendidos, um financia e o outro paga no “cash”. Nos anos dourados (2012-13) esse percentual era de 63%. Ou seja, temos um GAP de 11 pontos percentuais.

2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
61,9% 62,8% 63,1% 61,4% 58,3% 53,5% 52,4% 52,3%

O que a gente percebeu também, é que, se: OK, o mercado de financiamento de carros novos “não é nenhuma Brastemp”, ele também não foi ruim... afinal de contas, estamos falando de uma penetração ( ?° ?? ?°) dos financiamentos na ordem de 53%.

Mas, quando verificamos o mercado de carros usados, esse percentual não chegou a 30%.

2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
38,3% 33,8% 31,2% 29,5% 27,3% 26,8% 28,3% 29,3%

E aqui existe um potencial de mercado praticamente mal aproveitado por eles (bancos/financeiras). O que sai na mídia é uma quantidade de informações sobre a venda de carros novos. Mas o mercado de carros novos não representa nem 19% de todos os carros vendidos no ano passado.

Se a gente vendeu quase 2,5 milhões de carros novos, houve a venda de 10,7 milhões de carros usados; num total de 13,2 milhões de carros transacionados.

Lógico que se financia mais carros usados do que novos...mas o mercado de usados é negligenciado! 53% dos carros novos são financiados, contra nem 30% dos usados. E quando entramos no detalhamento do ano de vendas deste carro, aí, amiguinho, a coisa fica triste!

  0 A 3  ANOS 4 A 8 ANOS 9 A 12 ANOS + 13 ANOS USADOS
VENDAS 1.903.447 4.327.054 2.021.630 2.480.331 10.732.462
CRÉDITO 653.043 1.746.744 578.231 171.771 3.149.789
PART. % 34,31% 40,37% 28,60% 6,93% 29,35%

O pessoal só fica com o filé-mignon! 76% dos carros usados que são financiados vai para os veículos com até 08 anos. O mercado de veículos com mais de 09 anos, que movimentou 4,5 milhões de veículos (quase duas vezes o mercado de novos), só conseguiu financiar 750 mil carros, pouco mais de 16%.

O mercado dos carros com mais de 9 anos que foram negligenciados pelos bancos, foi de “apenas” 3,75 milhões de veículos.

E por que estou enchendo a paciência de vocês?

Pois a economia é cíclica! Se o mercado de carros com 13 anos “girar” mais rápido, isso vai gerar reflexo no mercado de veículos de 09 a 13 anos; que por consequência vai girar o mercado de veículos de 4 a 8 anos e assim sucessivamente até chegar no mercado de veículos novos!

É elementar, meu caro Watson! E, quando falo de carro de 13 anos, estou falando do falecido Palio que deve  girar na casa de uns R$ 10 a 11 mil. Ou seja, vou precisar financiar uns R$ 6 a 7 mil.

No ínfimo da minha ignorância, acho mais prudente eu fazer o financiamento deste tipo de veículo do que sair por aí catando velhinho para vender consignado. Lógico que tem banco que não tá a fins de trabalhar com esse tipo de cliente, mas existem “n” financeiras cadastradas no BC que poderiam fazer esse papel.

Resumo: demanda para a venda de carro existe! Foram mais de 13,2 milhões de carros vendidos, entre novos e usados. O financiamento de veículos pegou “só” 1/3 desse montante - 4,44 milhões de carros foram financiados. Tivemos 8,8 milhões de carros transacionados sem a participação de um financiamento – olha o tamanho do bolo!

O objetivo da indústria deveria ser criar mecanismos para girar mais rápido o meu negócio; começando pelo velhinho até chegar no novo. Logicamente que, se tivéssemos um cadastro positivo e um judiciário mais prático, isso ajudaria em muito!

Quer comprar um carro novo? Invista seu dinheiro: abra uma conta na XP - é de graça! 

E ai, o que achou?
Duvidas, me mande um e-mail aqui.
Ou me segue no Facebook aqui.

=)

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

 

perfil do autor

Raphael Galante

É economista, trabalha no setor automotivo há 14 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.

Quer dicas exclusivas?

Preencha os campos abaixo e receba dicas e conteúdos exclusivos do blog O mundo sobre muitas rodas

Contato